Categorias
Como fazer um TCC Fichamento

Como fazer um fichamento no TCC

Como fazer um fichamento no TCC.

O Trabalho de Conclusão de Curso (normalmente monografia ou artigo científico) tem como uma de suas principais características a exigência de uma pesquisa bibliográfica. Talvez você ainda não saiba, mas o melhor caminho para isso é aprender agora a usar um modelo de fichamento.

Baixe a planilha de fichamento (fichamento.xls).

Essa técnica já foi muito popular no passado, quando não havia computadores e as pessoas tinham que anotar informações importantes. Era comum estudantes usarem esse método para guardar anotações, notas de aula e outros conteúdos, para posteriores consultas.

Nos dias atuais, infelizmente essa forma de estudo não é mais incentivada nas escolas e faculdades. Isso é causado pela facilidade de consulta e salvamento de dados via internet e sistemas de informática.

O que você ainda não sabe é que ela é extremamente útil para fazer o referencial teórico do seu TCC.

Duvida? Então leia esse artigo até o final e aprenda a maneira mais rápida de fazer sua fundamentação teórica.

Nesse artigo você vai aprender como adaptar esse poderoso método de estudo aos tempos modernos. Para isso vamos seguir esse roteiro:

[toc]

Antes disso, porém, já vou começar com uma dica importante: Não fique calado (a)! Faça uma pergunta, uma crítica, elogio ou sugestão no formulário de comentários, que está abaixo do texto. Tenha certeza de que eu irei ler!

Aproveite e compartilhe essa página nas suas redes sociais… você nem imagina como isso é importante para mim, para o blog e milhares de pessoas que precisam dessa informação!

Mas, chega de conversa. Vamos ao que interessa!

ebook temas para TCC.pdf

O que é fichamento?

Fichamento é uma técnica de estudo que consiste na elaboração de notas com informações importantes acerca de um texto. Assim, é possível separar, organizar e guardar e dados importantes, mesmo que eles tenham sido encontrados em momentos diferentes.

A ideia é viabilizar consultas posteriores com rapidez e segurança, bastando para isso o exame das fichas avulsas. Em outras palavras, trata-se de uma forma de arquivar o conhecimento.

Essa técnica ajuda na hora de identificar obras e teses, na hora de saber do que se trata determinado artigo, analisar os materiais previamente. É como se fossem resumos de diversos outros trabalhos.

E tudo isso facilita para o estudante, na hora de fazer as citações durante o seu Trabalho de Conclusão de Curso.

O uso fichamento no TCC disciplina você, dividindo o trabalho em etapas. Por isso ele é tão útil para quem está escrevendo uma pesquisa. Dessa forma, ele facilita enormemente a elaboração de trabalhos acadêmicos.

Assim, essa técnica de estudo consiste na pesquisa, orientação e catalogação de citações para a sua pesquisa. Depois que você já tiver definido seu tema, o problema e os objetivos, o passo seguinte é fazer o fichamento.

Concentre-se durante alguns dias em pesquisar sobre os assuntos do seu trabalho. Leia bastante, isso vai te inspirar e ajudar você a montar sua coleção de citações.

Para que serve um fichamento no TCC

Primeiro, ele faz que você se concentrar apenas na busca de fontes para o seu trabalho. Isso por que nessa fase você apenas vai reunir textos para embasar sua pesquisa.

Depois, faz você escrever apenas o que for necessário e útil ao seu trabalho, garantindo 100% de rendimento na redação.

O fichamento pronto serve para você catalogar as diversas obras que você vier a consultar para fazer um TCC. Também, serve para ajudar você a conhecer melhor seu conteúdo. Com ele você pode organizar as citações do seu TCC, analisar ordenadamente os textos, fazer críticas e fundamentar seu TCC.

Isso não é algo maravilhoso?

Tipos de fichamento ABNT

Os tipos de fichamento também devem seguir as normas ABNT. Calma, você não precisa se prender a nenhuma regra rígida sobre como fazer um fichamento, não é isso que quero dizer.

A preocupação com a ABNT se refere às referências bibliográficas. Elas são exigidas, por normas ABNT, em trabalhos científicos. Então o seu fichamento pronto deverá ter as informações necessárias para fazer as referências, ou tudo ficará perdido no final.

Os tipos de fichamento em geral são simples, mas variam bastante. Isso porque existem algumas características diferentes na hora se serem feitos ou estudados.

Fichamento de livro, fichamento de texto e fichamento de citação
Fichamento de livro, fichamento de texto e fichamento de citação

Conheça os principais tipos de fichamento:

Fichamento de livro ou bibliográfico

No fichamento de livro as ideias principais do artigo são abordadas de uma forma mais completa.

Na verdade, o fichamento de livro é como uma resenha, uma espécie de comentário ou crítica sobre o texto.

Se você precisa ler muitos livros e depois comentá-los, como professor ou crítico, o fichamento de livro é o tipo ideal.

Fichamento de texto, de conteúdo ou temático

O fichamento de texto é uma síntese das principais ideias da obra ou artigo lido. É um resumo, se você quiser definir de maneira simples.

O estudante deve fazer uma interpretação do material e depois escrever com suas próprias palavras.

O fichamento de texto é a melhor estratégia para aprender o conteúdo de um texto.

Fichamento de citação

Esse é o mais simples e o mais comum para ser usado em casos de TCC. Nesse caso o aluno deve transcrever o texto da maneira como está, nas próprias palavras do autor, simplesmente copiar.

Lembre-se, porém, que todas as cópias no trabalho acadêmico devem indicar a autoria e ter referências no final do texto. Deve ser uma citação e não um plágio.

O fichamento de citação é o tipo de fichamento que eu vou ensinar para você usar para ser aprovado no seu TCC!

Modelo de fichamento

Existe mais de um modelo de fichamento que você pode seguir, para te ajudar a escrever o TCC.

O modelo mais comum é aquele que você pode encontrar nas livrarias. É um formulário representado por uma ficha de papel com linhas para a escrita, nada mais.

Porém, você pode usar um caderninho, blocos de anotações, post-it e até arquivos de computador. Eu, particularmente, uso uma planilha de Excel.

Não importa a forma que você escolher, mas é importante que todos os seus textos sigam o mesmo modelo de fichamento.

Fichamento de citação - modelo de ficha
Fichamento de citação – modelo de ficha

Dívida a ficha em 03 linhas. Na primeira (topo) coloque um cabeçalho com o número da ficha e assunto do texto. Mais para frente do texto, você vai ver que eu recomendo a criação de tópicos (continue lendo e entenderá melhor).

Separe a segunda linha em duas colunas e aumente sua altura. Do lado esquerdo deixe um espaço para copiar a citação. Do lado direito, reserve um espaço para os seus próprios comentários.

Na terceira e última linha, separe espaços para inserir as referências bibliográficas. Pronto, você já tem seu próprio modelo de fichamento para usar em papel ou arquivo eletrônico.

Modelo de fichamento - preenchimento da ficha
Modelo de fichamento – preenchimento da ficha

Certo, mas existe uma técnica para fazer fichamento no TCC? Sim, eu tenho um método para facilitar sua vida. Continue lendo!

Como fazer um fichamento no TCC?

Em se tratando de termos técnicos, quase nunca as fichas de leitura serão solicitadas pelos professores ou orientadores. Então você pode fazê-lo livremente, a mão ou no computador.

Mas caso seja solicitado, as fichas devem ter formatação seguindo as normas ABNT, do mesmo jeito em que deve ser construído o trabalho.

De todo modo, não se prenda aos padrões pré-descritos para fazer suas notas ou fichas. Essa ferramenta deve servir para facilitar a construção do seu TCC. Então ele deve ser simples e de fácil entendimento.

Por isso, separei algumas dicas que podem te ajudar na elaboração dessas fichas de leitura.

Como fazer um fichamento?
Como fazer um fichamento?

Continue lendo!

Criar tópicos sobre o assunto

Antes mesmo de começar a procurar materiais para ler, procure dividir seu assunto em várias partes, dividindo-o em tópicos. Essa é a primeira e mais importante providência que você deve adotar para fazer valer deu modelo de fichamento!

Dessa forma, você vai acabar criando um roteiro para seus estudos. Além disso, estabelecerá metas para a busca de conteúdo. Você saberá exatamente o que está procurando, quando começar a ler.

A melhor técnica para isso é fazer perguntas básicas sobre o seu assunto. A ideia é identificar os tópicos que uma pessoa leiga perguntaria sobre o seu tema de TCC.

ebook temas para TCC.pdf

De um modo geral, a maioria dos assuntos permitem a criação dos seguintes tópicos:

O que é;

Qual sua origem;

Como se classifica;

Quais suas características;

Para que serve;

Quais os seus principais exemplos;

Com o quê ou quem se relaciona;

Quais são os seus defeitos;

Quais são as suas qualidades;

Suas semelhanças com algo;

Suas diferenças com algo;

Qual é sua causa;

Quais suas consequências para algo; etc.

fichamento de citação
fichamento de citação

Você pode começar com esse roteiro, mas nada te impede de retirar ou inserir algum tópico. O importante é que você comece por essa espécie de planejamento.

Lembre-se que essa é a melhor maneira de garantir uma grande eficiência na busca de citações e economia de tempo.

Selecionar materiais de estudo

Esse é outro aspecto importantíssimo. O ideal é partir do geral para o específico, do simples ao complexo.

Eu recomendo que você comece pelos documentos, como leis e jurisprudências, por exemplo.

Em seguida, passe para os livros didáticos, colhendo os aspectos teóricos mais básicos sobre seus assuntos.

Depois, passe para livros específicos sobre o seu assunto, se houver. Por fim, procure seu assunto em artigos científicos, para coletar algum conhecimento mais novo sobre ele.

Use a seguinte ordem:

Documentos;

Livros didáticos;

Livros específicos;

Artigos Científicos.

fichamento pronto
fichamento pronto

Documentos

Comece pelos documentos: estatísticas, pareceres, atas, leis, ofícios, discursos, mapas, informativos, depoimentos, certidões, ou qualquer outra fonte não científica.

Essas são as fontes de conhecimento mais genéricas que você pode usar no seu texto. Isso por que os documentos não têm natureza científica, ou seja, não foram desenvolvidos com uso de métodos científicos. É a informação básica, nua e crua!

Por isso, nem preciso dizer que você não deve abusar do uso de documentos. Use poucos documentos, a não ser que seu assunto seja tão específico que ainda não exista bibliografia disponível sobre ele.

Em temas para TCC de Direito, por exemplo, é comum a utilização de normas e julgamentos sobre o assunto.

A análise de leis, jurisprudências e outros documentos formam o que se denomina de pesquisa documental.

Livros Didáticos

Depois, busque livros didáticos, pois eles oferecem o conhecimento científico mais simples e sistematizado que você pode achar.

Livros normalmente são escritos por pessoas que estudaram muito sobre algo no passado, adquiriam autoridade e agora escrevem para ensinar. Representam a técnica, ou seja, o conhecimento mais aceito, porém mais geral e por vezes menos atualizado com a ciência.

Livros didáticos normalmente abordam muitos assuntos de uma mesma área de conhecimento. Naturalmente, você só deve ler os capítulos que interessem ao seu assunto.

Livros Específicos

Porém, você pode procurar referências, também, em livros específicos sobre o seu assunto. Livros específicos são aqueles totalmente dedicados a um assunto, dentro de uma área de conhecimento.

Por exemplo, você pode encontrar livros didáticos sobre Direito Penal, mas pode encontrar livros específicos sobre homicídio. O homicídio é um crime, ou seja, apenas um dentre os inúmeros assuntos contidos no Direito Penal.

Esses livros são ótimos para você buscar as abordagens mais profundas e detalhadas sobre o assunto. Certamente, no livro específico sobre homicídio você vai encontrar algo muito interessante que não estará no livro de Direito Penal.

Por isso, recomendo que você pesquise pelo menos um ou dois livros específicos sobre seu assunto, se houver.

Mas faça isso apenas depois de já ter pego as referências básicas nos livros didáticos. Assim você evita o risco de ficar parafraseando apenas um autor, o que reduziria muito a qualidade do seu TCC.

Artigos Científicos

Os artigos científicos representam o conhecimento mais atual sobre um assunto, por que normalmente são pesquisas recentes. Por isso, certamente, deverão ter o conhecimento básico, encontrado nos livros, porém com algum outro enfoque especial e inédito.

Por isso, provavelmente os artigos científicos serão o tipo de referência mais específica do seu trabalho, devendo ser, também, a última fonte de estudo que você deverá fichar.

Atenção para os números!

Se você quer ter um artigo científico de qualidade, o ideal é que você cite pelo menos 10 (dez) artigos científicos no seu TCC. No caso da monografia, eu recomento pelo menos 25 (vinte e cinco) artigos científicos. Para uma dissertação, 40 (quarenta) artigos científicos. Numa tese, 50 (cinquenta).

Como encontrar artigos científicos na internet

Nada melhor do que usar fontes confiáveis, de trabalhos acadêmicos como periódicos científicos. Periódicos são publicações que acontecem de forma recorrente.

Eles são fontes sempre atualizadas de novas descobertas e as pesquisas são publicadas somente depois de passar por um filtro de pesquisadores da mesma área. Normalmente, os periódicos tendem a ter mais qualidade e, principalmente, credibilidade.

Existem desses periódicos em diversas áreas do conhecimento. Entretanto, infelizmente a maioria deles é publicada por editoras que cobram valores altos pelo acesso aos artigos.

E o pior é que os autores desses artigos nem ganham nada com isso. Eles publicam apenas para tentar reconhecimento acadêmico. Curiosamente, para conseguir isso eles acabam evitando que mais pessoas leiam suas obras. Lamentável, não é?

Mas, se você estuda em uma instituição pública, sendo federal ou estadual, elas possuem convênio com a CAPES. A CAPES é a Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior e com acesso ao seu portal é possível baixar vários artigos.

Porém, instituições de ensino de excelência também fornecem aos seus alunos o acesso a periódicos pagos. Felizmente, nas duas entidades que leciono (FAMETRO e Centro Universitário Estácio do Ceará), são disponibilizados periódicos para alunos e professores. Não há desculpa!

Realmente, é importante usar artigos de revistas reconhecidas e renomadas no meio acadêmico. Mas, como eu disse, nem sempre elas estão acessíveis a você. Se você tiver acesso a esse tipo de fonte, aproveite, mas se não puder, pode recorrer à internet, sem medo.

Onde encontrar artigos científicos gratuitamente

Se você quer saber como encontrar artigos científicos na internet, saiba que alguns sites disponibilizam o acesso aos periódicos de forma gratuita. Além disso, incluindo o artigo completo e tudo que você quiser consultar para dar mais base ao seu trabalho.

A iniciativa surgiu com a OAI – Open Archives Initiative (sigla em inglês que quer dizer “Iniciativa dos Arquivos Livres”). É uma iniciativa que pretende ajudar a espalhar o conhecimento científico, incentivando o fácil acesso.

Segue abaixo uma lista com alguns dos vários sites em que o acesso a periódicos e artigos científicos são gratuitos:

BDTD (Biblioteca Digital Brasileira de Teses e Dissertações)

Scielo (Scientific Electronic Library Online)

DOAJ (Directory of Open Access Journals)

BASE (Bielefield Academic Search Engine)

A maioria desses sites são bem fáceis de usar, alguns possuem diversos filtros que aperfeiçoam a busca, fazendo com que você encontre o que realmente quer. Sem contar que para encontrar determinados tipos de informação basta usar as palavras chaves corretas.

Google Acadêmico

Eu já falei no artigo sobre referencial teórico (leia mais sobre fundamentação teórica) sobre como encontrar artigos científicos na internet usando o Google Acadêmico (acesse o Google Scholar aqui).

Usando esse serviço, provavelmente você irá encontrar no mínimo 03 artigos científicos para usar como referência. O ideal mesmo é consultar pelo menos 10 (dez) artigos científicos, para fazer um bom TCC.

O Google Acadêmico é um serviço da gigante empresa americana que no qual você encontrar milhares de pesquisas.

Também conhecido como Google Scholar, ele faz o mesmo trabalho dos sites citados acima. Mostra diversos resultados, tanto de bases abertas quanto fechadas, só não tem filtros de busca muito específicos.

O ponto positivo é que a ferramenta mostra também artigos, citações e livros, o que é muito bom se você estiver pesquisando e quiser se aprofundar mais nos termos.

Feitos esses esclarecimentos, vamos continuar para a próxima etapa do nosso modelo de fichamento, a filtragem dos conteúdos.

Grifar as partes mais importantes

Depois que você já fez uma seleção básica dos seus materiais de pesquisa, chegou a hora de começar a ler. Durante o processo de leitura é importante ter uma caneta tipo marca texto à mão.

Apenas tome o cuidado de não rasurar livros e documentos alheios. Se você estiver pesquisando uma obra emprestada, melhor é fazer cópias reprográficas das páginas que você vai marcar.

Isso vale para que você já consiga ir selecionando as ideias mais importantes do texto que você estiver lendo. É necessário ser seletivo nessas horas e se atentar apenas ao que realmente é mais importante naquela obra.

Com esse procedimento, provavelmente você encontrará várias citações para fichar e usar depois no seu trabalho acadêmico.

Separe as melhores citações

Ao grifar as partes mais importantes de cada texto lido, você já pré-selecionou as possíveis citações que ele pode oferecer.

Agora você deve fazer um segundo filtro, baseado na relevância:

Primeiro você deve excluir as citações que não representem nenhuma novidade em relação às outras que você já fichou.

Depois exclua aquelas que não tenham relação direta com seu assunto do seu TCC. Isso é importante para seu TCC não se desviar dos objetivos.

Transcreva as citações

Então chega o momento mais importante do fichamento no TCC. A hora em que você irá registrar as citações que você coletou.

Nesse ponto, o essencial é anotar todas as informações importantes, de modo que você não precise voltar ao texto que está sendo fichado.

Resumidamente, você deve se preocupar com 03 coisas: a citação propriamente dita, as referências bibliográficas e sua primeira impressão pessoal sobre aquele conteúdo.

Pegue uma ficha. Você pode adquirir o formulário numa livraria, usar um caderno ou até mesmo uma planilha. Se preferir, recomendo que você use o meu modelo de fichamento (baixe aqui).

Comece a preencher a ficha inserindo um número. Depois, escreva em qual tópico do seu trabalho aquilo será usado e simplesmente copie a citação que você vai fichar.

Não esqueça que o fichamento de citação deve ser idêntico ao original. Se, por acaso, você queira fichar apenas partes de um parágrafo ou frase, use o símbolo […] entre as orações. Isso vai indicar que no texto original havia algumas palavras que foram omitidas.

Continuando, escreva um breve comentário sobre o que você entendeu daquele texto. Você pode também fazer uma crítica ou um complemento, por exemplo. Fique à vontade, o objetivo é não deixar seu aprendizado se perder com o tempo.

Em seguida, anote as informações necessárias para identificar aquele texto. São elas: título da obra, nome e sobrenome do autor, editora, cidade, ano, página e o link (se o texto estiver na internet).

Anote as referências

Nosso modelo de fichamento está quase no fim! Para completar, como eu disse, você deverá anotar algumas informações sobre o texto que você pesquisou.

A ideia é que qualquer pessoa consiga localizar o mesmo texto no futuro. Para tanto, as informações de identificação devem ser precisas.

Dentre as normas ABNT há uma a se destacar. É a NBR 6023:2002 (acesse aqui), que estabelece os critérios para a elaboração de referência bibliográfica.

Como esse assunto é mais extenso, vou abrir um tópico do artigo apenas para ele. Vamos lá!

ebook temas para TCC.pdf

Referência Bibliográfica

Referência bibliográfica é o conjunto de todos os dados relativos ao texto pesquisado, para viabilizar sua identificação, localização e consulta.

De início, devo te alertar que não tenho a pretensão de te explicar agora tudo sobre as referências bibliográficas. Minha ambição aqui é apenas que você aprenda quais são as informações básicas que precisa anotar no seu modelo de fichamento.

Mas não se preocupe, farei depois um artigo apenas sobre esse assunto, observando todos os detalhes que ele contém.

Talvez você não saiba, mas, segundo a NBR 6023:2002 (uma das Normas ABNT), existem elementos essenciais e complementares da referência bibliográfica. Como o nome já sugere, os primeiros não podem faltar e ou últimos apenas melhoram a qualidade da referência.

Os elementos que não podem faltar nas referências são:

Nome do autor;

Título da obra;

Edição;

Cidade;

Editora;

Ano de Publicação.

Referência Bibliográfica
Referência Bibliográfica

Essas informações você precisa obrigatoriamente inserir no seu modelo de fichamento. A única possibilidade de omiti-las é se elas não estiverem disponíveis. Fora isso, nem tente!

Exemplo de Referência Bibliográfica pronta

Com essas informações, você já será capaz de inserir citações no seu TCC. Veja um exemplo de fichamento fictício:

FONTENELLE, André Luiz Moreira. Como fazer um fichamento. 1. ed. Fortaleza: WordPress Editora, 2017.

Referência Bibliográfica - Modelo
Referência Bibliográfica – Modelo

Em primeiro lugar vem o sobrenome do autor (em letras maiúsculas), uma vírgula e o nome. Os demais nomes, caso houver mais de um autor, vem depois, sempre separados com vírgula.

Em seguida, aparece o título do artigo (em negrito), dois pontos e o subtítulo caso haja.

Depois, você deve inserir a edição da obra fichada. Continuando, você coloque o local de publicação (cidade), dois pontos, a editora e o ano.

Pronto, esse exemplo de fichamento é o padrão de referência bibliográfica! Simples, não é?

É claro que há variações, mas elas não são tão importantes na hora do fichamento no TCC.

Porém, existem vários outros elementos que também podem ser inseridos nas referências, além do exemplo de fichamento acima. Conheça alguns deles:

Página;

Endereço do Link;

Data de Acesso;

Tipo de Mídia;

Coleção ou Revista;

ISSN.

Enfim, o ideal mesmo é que você anote toas essas informações, se as tiver. Porém, não se assuste muito com isso, caso o texto que você leu não contenha todas elas.

Use os dados que tiver, anote no seu modelo de fichamento e depois faça suas referências bibliográficas sem dor de cabeça.

ebook temas para TCC.pdf

Conclusão – como fazer um fichamento no TCC

Depois que estiver com o fichamento pronto, chega a hora de sentar e alinhar essas bases teóricas que você conseguiu coletar.

É como de você tivesse terminado a coleta de todos os ingredientes de uma receita. O passo seguinte é organizá-los para fazer uma deliciosa comida. É a mesma coisa! Você vai juntar os dados, organizá-los e criar uma nova obra.

Então, coloque as citações em ordem, jogue elas no seu texto, insira os comentários entre elas e simplesmente vá completando o texto. Use seus conhecimentos, sua visão crítica e seja feliz com um belíssimo trabalhos acadêmico!

Na verdade, essa é a parte em que se inicia a escrita do trabalho acadêmico e introduz os conhecimentos angariados nas outras obras. Pode parecer complicado juntar todas essas ideias, mas ao fazer o fichamento no TCC tudo fica mais claro e organizado.

O fichamento pronto organiza e direciona a sua escrita, tornando o processo de como fazer um TCC mais simples. Ainda por cima, facilita a formatação, ajudando com as citações e referência bibliográfica.

Em suma, o fichamento pronto é uma mão na roda para o seu trabalho acadêmico. Além disso, é uma metodologia muito fácil, não é?

E você, já começou a fazer o fichamento no TCC? Pretende seguir meu exemplo de fichamento? Ou você está escrevendo o TCC sem fichamento ABNT? Deixe um “oi” aqui abaixo, no formulário de comentários e me conte como está sendo sua experiência. Se tiver alguma dúvida, conte comigo!
Um abraço,
Professor André Fontenelle

Categorias
Como fazer um TCC Fundamentação teórica

Como Fazer Referencial Teórico – Guia Completo e Prático

Como Fazer Referencial Teórico – Guia Completo e Prático

O Referencial Teórico (ou fundamentação teórica) é a parte do artigo científico ou da monografia que mais provoca transtornos. É nele que estão os erros, omissões e plágios que tanto maltratam quem não sabe como fazer um TCC.

O tempo é limitado e as pessoas não conseguem manter o foco por que não sabem o que escrever. Por isso, infelizmente é nessa fase que muitas pessoas desistem de fazer seus trabalhos acadêmicos.

Mas, calma! O que poucos sabem é que quando o assunto é pesquisa científica, existe método para tudo! Se você está passando por essa dificuldade, eu vou salvar você!

Duvida? Então leia esse artigo até o final e aprenda os melhores métodos para escrever seu referencial teórico com eficiência e rapidez. Vamos abordar os seguintes pontos:

[toc]

Além disso, vou tirar todas as suas dúvidas. Para isso, basta você perguntar no formulário de comentários, que está abaixo do texto. Aproveite e compartilhe com seus amigos… isso é muito importante para mim e para o blog!

Então vamos lá!
ebook temas para TCC.pdf

1. O que é referencial teórico e o que é fundamentação teórica

A primeira coisa que você deve saber é que as duas expressões significam exatamente a mesma coisa!

As normas ABNT não definem exatamente essa nomenclatura, então cada faculdade resolve aplicar a que achar mais conveniente.

Você também pode encontrar o mesmo significado nas expressões “revisão bibliográfica”, “revisão de literatura” e “abordagem teórica”. Vou usá-las nesse texto, para não ficar repetindo o termo referencial teórico o tempo todo.

Então, tanto uma como as outras dessas expressões se referem ao embasamento teórico da sua pesquisa. Rigorosamente, tudo o que você escrever deverá ser fundamentado em alguma teoria já existente.

Você não pode inventar!

Em outras palavras, referencial teórico é o conjunto de conhecimentos relativos à teoria sobre os diversos elementos contidos no seu tema, que você simplesmente vai copiar de outros autores, organizar, descrever e inserir no seu texto.

O que é Referencial Teórico
O que é Referencial Teórico

Mas, se você não deve dizer suas próprias opiniões na parte das referências, onde é que se faz isso? E onde é que fica mesmo a parte de embasamento teórico?

Para responder a essas questões, você precisa conhecer a estrutura de um TCC.

Estrutura

De modo geral, o Trabalho de Conclusão de Curso é dividido em elementos pré-textuais, textuais e pós-textuais.

A parte pré-textual serve para identificar o autor e a pesquisa, como capa, resumo sumário, etc. A parte pós-textual serve de apoio à parte textual (bibliografia, anexos, apêndices, etc.).

Já a parte textual é a que contém a introdução, o desenvolvimento e a conclusão. E é no desenvolvimento que fica o referencial teórico.

O desenvolvimento deve conter, obrigatoriamente, a abordagem teórica e a análise dos resultados.

Porém, dependendo do tipo de pesquisa, haverá também, a pesquisa empírica, que pode ser um estudo de caso, por exemplo.

O desenvolvimento também deve conter a metodologia científica utilizada, exceto nos artigos científicos, onde ela aparece normalmente apenas na introdução.

Fundamentação Teórica
Fundamentação Teórica

Localização do Referencial Teórico no Desenvolvimento

Dependendo da faculdade, pode ser um capítulo específico ou não. Como não existem normas ABNT obrigatórias para isso, cada instituição organiza da sua maneira.

Por isso, é comum que a revisão bibliográfica não apareça no sumário como um capítulo específico. Mas isso você só consegue descobrir na sua própria faculdade.

Se sua faculdade exige um capítulo específico para o referencial teórico, o ideal é dividir os assuntos em subtítulos. Caso contrário, você deve criar pelo menos 02 capítulos de revisão de literatura.

Mas, como definir quais serão os capítulos ou subtítulos do seu referencial teórico?

Para isso, eu recomendo que você quebre seu tema em pelo menos 03 partes. No artigo sobre temas para TCC (acesse) eu mostrei para você o método que ajuda você a fazer essa escolha.

ebook temas para TCC.pdf

Nele eu mostrei que você deve encontrar em primeiro lugar, um assunto central. Depois, um ponto de vista sobre o assunto. E, por fim, uma palavra que represente a relação entre o assunto e o ponto de vista.

Então, o assunto deve ser o primeiro objetivo específico e, consequentemente, o primeiro capítulo. O ponto de vista será o segundo objetivo específico e também o segundo capítulo. Esses dois capítulos serão o seu referencial teórico.

A relação entre o assunto e o ponto de vista será o terceiro objetivo específico, ou seja, o terceiro capítulo. Isso é o que se denomina “análise dos resultados”. É nessa parte do trabalho que você pode mostrar suas posições sobre o conceitos pesquisados.

Embasamento Teórico
Embasamento Teórico

Citações diretas e indiretas

No tópico anterior eu disse que você simplesmente deve copiar o texto de outros autores, organizar, descrever e inserir no seu texto.

Você não leu errado, estou mandando copiar os textos de outros autores! Mas isso não é plágio?

Depende! Se você copia o texto de alguém e coloca na sua pesquisa como se fosse seu, isso é plágio. Porém, se você copia o texto de alguém e insere no seu texto, identificando quem escreveu, isso é uma citação!

A pesquisa bibliográfica deve ser 100% embasada em citações. Mesmo assim, você não vai fazer o referencial teórico só com elas.

É necessário que a maior parte do texto seja sua!

O segredo aqui é o fato de que você não vai criar nenhum conhecimento teórico, apenas comentar outras pessoas desenvolveram.

Nessa parte do trabalho, você não deve apresentar sua opinião de forma direta.

O correto é fazer uma redação descritiva. Deixe suas considerações para o terceiro capítulo, quando for analisar os resultados da pesquisa bibliográfica.

É para isso que serve o texto citado de outros autores.

Conceito e tipos

Elas estão regulamentadas pela ABNT NBR 10.520 (acesse aqui), Norma Brasileira aprovada pela ABNT – Associação Brasileira de Normas Técnicas.

Citação é a “menção de uma informação extraída de outra fonte”, nos termos da NBR 10.520 (ABNT, 2002, p. 1). Elas podem ser classificadas de 02 formas:

Quanto à maneira de apresentar a informação;

Quanto ao tamanho e localização.

Quanto à maneira de apresentar a informação

Citação direta é quando você copia uma parte do texto de alguém e transcreve para o seu. Nesse caso você cita as mesmas e exatas palavras.

Citação indireta é quando você copia uma parte do texto de alguém, mas transcreve para o seu usando palavras diferentes.

Citação de Citação é quando você transcreve um texto que foi citado por alguém. Nesse caso, você não teve acesso ao texto do autor original, apenas de quem já o transcreveu.

Quanto ao tamanho e localização

As curtas são aquelas de até 03 linhas. Elas devem estar inseridas no texto, dentro dos parágrafos, delimitados com aspas duplas.

Já as longas são aquelas com mais de 03 linhas. Elas devem ficar em parágrafo próprio, com recuo de 4 cm da margem esquerda, em letras menores e sem aspas.

Independentemente dos tipos que aparecerem no seu referencial teórico, saiba que você deverá informar, entre parênteses:

1 – O último sobrenome do autor ou o nome da instituição responsável pelo texto em letras maiúsculas;

2 – O ano da publicação, e;

3 – O número da página da publicação em que está o texto citado.

Como exemplo, você pode observar como eu apresentei o conceito, por meio de uma citação direta curta.

Citação Direta, Indireta, Curta e Longa
Citação Direta, Indireta, Curta e Longa

Quantos textos citados devem ser utilizados?

O ideal, segundo minha experiência, é escrever 08 (oito) linhas de texto para cada 02 (duas) linhas de texto citado. No máximo 03 (três) linhas com elas para cada 07 (sete) de texto autoral.

Com menos de 20% (vinte por cento) de delas, é possível que a qualidade teórica do texto fique baixa.

Não deixe que seu texto fique baseado em “achismos”, pois isso fará surgir inúmeras perguntas dos avaliadores na sua apresentação. Nesse caso, mesmo que você saiba responder, com certeza a nota será mais baixa, por que o texto estará omisso.

Por outro lado, com mais de 30% (trinta por cento) delas, os avaliadores podem achar seu texto muito ralo. Isso é o pior que pode acontecer, a banca vai pensar que você foi preguiçoso e fez o trabalho incompleto.

Revisão bibliográfica
Revisão bibliográfica

Nesse sentido, é recomendável que cada uma contenha uma ideia apenas, algo entre 02 e 04 linhas. Evite citações longas, com várias ideias misturadas no mesmo texto.

Vou me basear nas medidas de um artigo científico, que é a modalidade de trabalho acadêmico mais comum do momento.

Mas você pode aplicar todos os números que vou mencionar para uma monografia. Para isso, multiplique as métricas que vou passar por 05.

Aplicação do padrão 20-80

Provavelmente, seu TCC terá mais ou menos 07 páginas de teoria. Além disso, cada uma delas poderá terá mais ou menos 30 linhas. Isso representará um referencial com aproximadamente 210 linhas.

Considerando um percentual entre 20% e 30%, deve haver entre 42 e 63 linhas citadas no seu texto. Isso representa algo em torno de 10 a 31 delas, dependendo do tamanho delas.

É uma margem confortável para você controlar!

Pessoalmente, gosto de trabalhar com 15, numa média de 03 linhas citadas, para a parte de referências sobre teoria. Assim é possível ficar bem próximo do “padrão 20-80”: 20% com elas e 80% de texto autoral.

Você deve ter se assustado com tantos números, mas mantenha a calma!

Nada disso está entre as regras da ABNT. Portanto, nenhum avaliador vai contar quantas delas seu trabalho tem. Busque apenas encontrar um equilíbrio perto desses parâmetros!

Quando começar a procurar

Depois de delimitar o tema e elaborar o projeto de pesquisa ou a introdução, o passo seguinte é o referencial teórico.

ebook temas para TCC.pdf

É fundamental que você só comece a buscar material depois de ter definido o objetivo geral e, principalmente, os específicos. Sem esse cuidado, você simplesmente não vai saber o que procurar.

Não saber exatamente o que está procurando é a principal causa de insucesso no TCC. Quem cai nessa armadilha acaba trabalhando dobrado, triplicado.

Desse jeito você iria ler um monte de coisa inútil, escrever várias páginas e depois perceber que aquilo não serve. Depois iria ter que fazer o trabalho quase inteiro mais uma vez, e outra, e mais outra. Não preciso nem explicar por que tanta gente desiste, não é?

Então, com cada objetivo à mão, você vai apenas ler e fazer o fichamento dos textos mais importantes que achar. Aqui no blog há um artigo sobre como fazer um fichamento (acesse aqui), mas, já digo para você simplesmente anotar:

O trecho de texto que você achou interessante;

O nome completo do autor;

O título da obra;

A editora;

O ano de publicação;

A cidade onde foi publicado;

Seus comentários sobre aquele trecho.

Faça pelo menos 08 ou 10 fichamentos de outros autores para cada objetivo específico. Sempre sugiro que meus orientandos procurem mais do que isso, para que depois possam escolher algumas para eliminar.

Afinal, é melhor sobrar do que faltar, não é? É importante ter sobras, por que na fundamentação você terá de explicar o máximo de detalhes sobre o assunto. E terá de fazer isso sem tirar nada da sua cabeça, só das citações!

Certo, mas onde encontrar esses conteúdos para fichamento?

Como encontrar material de pesquisa

[sociallocker id=”14164″]
Lembre que está fazendo uma pesquisa de caráter científico. Então jamais utilize enciclopédias abertas, como o wikipedia. Fuja de blogs e artigos de opinião ou qualquer fonte de caráter não científico.

Não estou querendo dizer que essas fontes não tem qualidade. Elas tem sim, inclusive, estou escrevendo num blog, não é mesmo?

O problema é que não há garantia nenhuma de que os conhecimentos que você encontrar assim terão caráter científico. O conhecimento pode ter várias naturezas e a ciência é apenas uma delas.

Esse artigo que você está lendo, por exemplo, é técnico e não científico. Veja que informalmente estou te passando um tutorial, muito mais baseado na minha própria experiência do que em teorias.

Sendo assim, as principais fontes teóricas que você deverá utilizar são os livros, os artigos científicos e documentos.

Artigos Científicos, Livros e Documentos
Artigos Científicos, Livros e Documentos

Livros

A primeira fonte que você deve procurar são os livros.

Se você está fazendo TCC na graduação ou na especialização, certamente há livros sobre os seus objetivos específicos. Se não houver, considere rever seu tema por que deve haver algo de muito errado com ele.

ebook temas para TCC.pdf

Normalmente, os livros são didáticos, ou seja, não tem muito compromisso científico, mas didático.

Quer dizer, os livros normalmente são escritos por doutrinadores que já pesquisaram muito no passado. Esses autores se tornaram autoridades e agora escreveram os livros para ensinar o conhecimento que acumularam.

Por isso, os livros trazem o conhecimento mais seguro e mais bem explicado, porém mais genérico e mais antigo. Então, nos livros você vai procurar as informações mais básicas para descrever os conceitos sobre seus assuntos.

Eu recomendo que você comece seu fichamento com os 03 livros dos autores mais tradicionais da área. Leia apenas os capítulos que falem sobre seu tema e separe as partes mais interessantes.

Se você não sabe quem são esses autores, pergunte ao seu orientador!

Depois disso, você pode procurar autores mais específicos, que tenham escritos dedicados a um assunto apenas. Nem sempre existe uma bibliografia específica sobre o assunto do seu tema, mas vale procurar.

Artigos Científicos

Artigos científicos são as pesquisas que representam o conhecimento científico mais atual sobre um assunto.

São textos escritos por autores normalmente pouco conhecidos, provavelmente outros estudantes como você. Mas também autores que estão no auge de sua produção intelectual, em busca do reconhecimento acadêmico.

Desse modo, se você souber procurar bem, possivelmente encontrará materiais de excelente qualidade.

Sempre sugiro aos meus orientados que selecionem pelo menos 10 artigos científicos para embasar seu referencial teórico.

Outra dica, é olhar as referências desses artigos. Normalmente é comum garimpar outras fontes muito boas.

Mas onde procurar bons artigos científicos?

Uma boa opção é o Google Acadêmico (acesse aqui).

A dica aqui é você não procurar pelo tema completo. Quebre seu tema em palavras-chaves.

É provável que você ache um trabalho com um tema diferente, mas relacionado ao seu assunto ou ponto de vista. Assim, é possível que você encontre boas indicações teóricas.

Documentos

Documento é qualquer texto, tabela ou até fotografia que contenha algum dado sobre fato ou acontecimento relevante para a pesquisa. É importante considerar que o documento não tem caráter científico, sendo essa característica que diferencia a pesquisa documento da bibliográfica.

Você não precisa usar documentos na sua pesquisa, mas às vezes é necessário, especialmente nos estudos de caso.

Também, na área jurídica, a pesquisa documental é quase uma regra, visto que você vai precisar citar as normas aplicáveis.

Ainda, poderão ser citados relatórios financeiros ou contábeis, estatísticas, tabelas, papéis oficiais e até jornais ou revistas.

O importante, nesse caso, é identificar o autor do documento, para viabilizar o referencial teórico.

3. Como fazer Referencial Teórico

Após pesquisar o tema, fazer seu fichamento e já dispor de algumas citações, chegará o momento de escrever.

Mas para isso você vai precisar de um planejamento. Não adianta começar sem um roteiro, pois você vai acabar perdendo tempo com parágrafos inteiros que depois irá descartar.

Método para escrever rápido e com eficiência

Você pode usar o método que aplico aqui do blog. Com ele, consigo escrever artigos inteiros, com 15 a 20 páginas, em apenas uma semana.

Resumidamente, você deve fazer o seguinte:

Definir tópicos para serem subtítulos do texto;

Pesquisar textos citados sobre esses tópicos;

Escrever as citações em ordem lógica;

Preencher os espaços vazios com comentários sobre elas.

Definir previamente os tópicos do seu texto vai diminuir violentamente o tempo de trabalho. Assim você só vai procurar o que precisar e quando for escrever, já saberá o que precisa ser dito.

Desse jeito fica muito fácil e rápido, por que você não vai precisar inventar nada, apenas copiar e comentar.

Fundamentação Teórica – Como fazer um artigo

Para fazer isso, pegue o seu objetivo específico e quebre ele em partes. Suponha que um de seus objetivos específicos seja assim:

“Descrever os aspectos éticos do profissional de contabilidade”.

Dividindo esse texto em partes você encontrará “ética”, “profissional” e “contabilidade”. Depois, é só criar perguntas básicas sobre essas três palavras, como essas;

O que é contabilidade?

Como surgiu e se desenvolveu a contabilidade?

Quem é esse profissional?

O que ele faz?

Para que serve o contador?

O que é ética?

Qual a história do desenvolvimento da ética?

Existe classificação para a ética? Qual?

Quais as características da ética?

A ética se relaciona com quais coisas e de que forma?

Como a ética se revela na contabilidade?

Quais são as infrações éticas na contabilidade?

O que acontece quando o profissional de contabilidade não é ético?

Ufa, tive de parar de criar perguntas para o texto não ficar ainda maior! Você viu como é fácil encontrar uma fartura de conteúdos para um capítulo?

Como fazer Referencial Teórico
Como fazer Referencial Teórico

Pronto, agora basta transformar cada perguntas dessas perguntas em tópicos, depois pesquisar sobre elas. Você vai se assustar quando perceber a velocidade de sua produção textual!

Mas agora você já vai ter que se vigiar para não escrever demais! Tome cuidado para não ser repetitivo ou prolixo demais!

Métricas

Vou te dar um conselho: use frases com até 20 palavras e parágrafos de até 04 linhas. Isso não é uma regra, portanto não se trata de uma obrigação. Cada tópico (subtítulo do seu capítulo) deve ter no máximo 300 palavras.

Mas esse exercício vai fazer você escrever de forma mais objetiva e garantir uma leitura mais agradável para o seu leitor.

Saiba que além de um bom conteúdo, a principal missão de um parágrafo é instigar o leitor a continuar lendo. Você percebeu que estou fazendo essa contagem nesse texto?

Marco Teórico
Marco Teórico

4. Modelo de Referencial Teórico

Então que tal ver um exemplo de referencial teórico, passo a passo? Vou desenvolver a seguir um modelo para você, organizando as etapas por parágrafos.

Mas não se prenda a eles. Você pode modificar a ordem, inserir ou retirar algum deles. Em suma, aproveite o modelo, mas fique a vontade!

Primeiro Parágrafo

No primeiro parágrafo, você deve fazer uma mini introdução sobre o assunto do capítulo. Uma boa pedida é iniciar com uma apresentação do assunto, com uma definição, por exemplo.

Segundo Parágrafo

Depois, no segundo parágrafo, você pode falar um pouco mais sobre a identificação do assunto. Você pode usar uma citação indireta curta, aquela em que se reescreve o que leu. Mas nesse caso faça ela com até três linhas e dentro do parágrafo.

Terceiro e Quarto Parágrafos

Na continuação, é só emendar com um comentário sobre o conteúdo citado.
Você simplesmente vai usar suas palavras e falar o que entende sobre o conteúdo citado. Você pode concordar, discordar, complementar, sistematizar, concluir, enfim, o seu papel é decodificar aquela informação para o leitor.
Mas lembre-se das duas regras fundamentais:

Você só escreve sobre o que está citado;

Você só cita aquilo que precisará comentar.

Quer dizer, você até pode interpretar a referência citada de forma extensiva, especulando o que mais poderia significar aquilo. Porém, você não deve inserir novas ideias não relacionadas com o texto citado.

Quinto Parágrafo

Então já é hora de outro texto citado. Que tal usar um autor diferente? Ela pode indicar o histórico do assunto, suas características gerais ou outros elementos que demonstrem sua importância.
Mas como o texto ainda está muito preliminar, ainda recomendo que seja outra curta. Deixe para usar as longas quando o texto estiver exigindo ideias mais profundas, merecendo esse destaque.

Sexto, Sétimo e Oitavo Parágrafos

Já que você trouxe outro texto citado, terá de comentá-la. Mas perceba que agora você já tem a opinião de dois autores. Será que não dá para também relacionar o que eles disseram?

Então você vai primeiro explicar com suas palavras o que o autor disse. Em seguida, você vai fazer uma comparação entre os dois pontos de vista, apontando concordâncias ou diferenças entre eles.

Nono, Décimo-Segundo e Décimo-Quinto Parágrafo

Agora é o momento de aprofundar o texto. Quais são as características específicas do assunto, suas peculiaridades?

Escreva com suas palavras uma ou algumas dessas características. Se forem várias (provavelmente serão pelo menos 03), faça um parágrafo para cada uma.

Décimo e Décimo-Primeiro, Décimo-Terceiro e Décimo-Quarto e Décimo-Sexto e Décimo-Sétimo Parágrafo

Percebe que você fez um parágrafo com comentários sobre algo que ainda não estava embasado em nenhuma fonte externa? Então você agora tem a obrigação de citar algo sobre aquilo que foi dito.

Se você não fizer isso, seu texto correrá enorme risco de perder o caráter científico, transformando-se numa redação simples.

Como houve um aprofundamento sobre o assunto, com as características específicas, a pedida agora é uma citação direta longa. Pode usar uma bem longa aqui, com umas 08 a 10 linhas. Aproveite bem, pois você só poderá fazer isso uma vez por capítulo, no máximo.

Quer dizer, você vai inserir um texto citado, copiando exatamente o que o autor escreveu. Mas você vai fazer isso com pelo menos 04 linhas transcritas. Além disso, faça um parágrafo próprio, com recuo de 4cm, fonte menor e sem aspas.

Por oportuno, saiba que apenas exemplifiquei a descrição das características específicas do assunto, nos parágrafos anteriores. Esses conteúdos são muito importantes para o resultado final da pesquisa e seu assunto deve ter várias deles.

Você pode fazer quantos parágrafos você quiser, sempre citando e comentando, mas explique exaustivamente todas as características do seu assunto.

Décimo-Oitavo Parágrafo

Certo, você já fez seus comentários e já inseriu o texto citado de outro autor. Mas aqui vai outra dica: nunca encerre um raciocínio com um texto citado. Quero dizer que mesmo que você já tenha comentado sobre ela, mesmo assim você ainda vai ter que escrever alguma coisa.

Faça um fechamento sobre aquela ideia. Você pode tirar uma conclusão ou até mesmo fazer uma síntese. Que tal?

Décimo-Nono Parágrafo

Nesse ponto, você já apresentou o tema, a definição, o histórico e as características. Você demonstrou como a essência do assunto é importante para resolver o problema. Depois aprofundou a descrição, mostrando as características mais específicas.

Desse modo, já é possível aprofundar mais um pouco.

Existe algum aspecto relativo ao seu assunto, que tem algum ponto de aderência com o problema, tenho certeza! Pode ser um defeito, uma aplicação prática, suas consequências ou qualquer outro aspecto.

Seja qual for, use-o! Faça comentários sobre esse ponto.

Mas, cuidado! Ainda não é o momento de analisar os resultados, tirar conclusões para o trabalho. O que você precisa é preparar uma transição para o próximo capítulo.

Vigésimo Parágrafo

Mais uma vez, venho te lembrar que se você fez algum comentário, deve também inserir um texto citado sobre ele.

Faça, então, nessa parte do texto, uma citação direta longa sobre o o conteúdo do parágrafo anterior. Mas não use uma muito longa, utilize no máximo 04 ou 05 linhas.

Vigésimo-Primeiro Parágrafo

De novo! Não encerre uma ideia com um texto citado! Nesse caso, como a finalidade é fazer uma transição, recomendo que você nem fale tudo sobre o conteúdo dela. Faça uma chamada de atenção para o artigo seguinte!

Explique alguma coisa mais evidente, mas deixe no ar que ainda falta um algo mais. Algo que o leitor só conseguirá compreender mais para frente do texto, o chamado “pulo do gato”!

Você entende o que estou propondo? Deixe um mistério no ar! Assim o leitor inconscientemente sentirá a necessidade de continuar lendo.

Isso vai fazer seu assunto ficar mais interessante e passará a impressão de que ele é ainda mais importante do que realmente é.

Vigésimo-Segundo Parágrafo

Seu capítulo pode já estar ficando extenso, afinal já terá em média 22 parágrafos, algo entre 66 e 88 linhas, ou 03 páginas, mais ou menos. É hora de partir para o embasamento sobre o ponto de vista, contido no segundo objetivo específico do seu trabalho!

Para fechar esse capítulo, recomendo que você faça um parágrafo com algumas poucas frases. Faça uma síntese do que já foi dito e mostre como vai ser importante relacionar isso com o outro assunto, do capítulo seguinte.

ebook temas para TCC.pdf
[/sociallocker]

Conclusão

Parabéns! Se você leu até aqui, certamente está entre os 5% de pessoas que sabem como fazer um artigo ou monografia em altíssimo nível.

Nesse artigo você teve acesso aos melhores métodos para fazer o referencial teórico da sua pesquisa com rapidez e eficiência.

Agora você precisa colocar todas as dicas e recomendações em prática. Se fizer isso, tenho certeza que seu trabalho será aprovado com uma excelente nota.

Mesmo assim, se você ainda tiver alguma dúvida… Reitero o convite para você deixar um comentário, logo ali abaixo do texto.

Além disso, peço a você que compartilhe esse artigo. Eu fiz com muita atenção a você e sugiro que você tenha a mesma atitude com as outras pessoas.

Lembre-se: compartilhar é se importar com os outros!

Em breve postarei um novo artigo como esse. Se você cadastrar seu e-mail no blog, receberá um aviso por e-mail assim que eu tiver novidades.

Então, receba meu abraço e um até breve!

Professor André Fontenelle