Como fazer TCC rápido – 9 técnicas para escrever um TCC muito rápido!

Me diz uma coisa… Seu prazo já está acabando e agora você precisa escrever o TCC de forma muito mais rápida, não é?

Confessa para mim! Você já está pensando até em desistir… Eu sei, eu já passei por isso!

Mas olha só… se você quiser sair da página agora, leva só uma dica: seja qual for a situação, não desista!

Acredite, é melhor você tentar terminar e não conseguir, do que parar agora!

Por que se deixar para depois, você vai acabar parando de produzir, e depois vai ser muito mais difícil recomeçar.

Não caia nessa armadilha!

Eu sou o Professor André Fontenelle e nesse artigo eu vou te dar 8 técnicas… Para você aplicar imediatamente e acelerar o referencial teórico do seu TCC.

Eu resolvi fazer esse artigo depois que a Aline, que é uma das participantes lá do Grupo 5 Estrelas me pediu dicas para escrever mais rápido!

Se ela, que tem o suporte que nós temos lá no Grupo 5 Estrelas, tem essa dificuldade… Com certeza é muito provável que você aí, que está praticamente só, também esteja sofrendo com o prazo apertado!

Eu conversei bastante com a Aline e tenho certeza que ela não vai desistir e vai conseguir escrever seu TCC com muita velocidade.

Aline, eu estou torcendo por você!

E você, quer saber mais sobre o grupo 5 Estrelas?

Então clica no link que eu deixei lá na descrição e aproveita para fazer sua inscrição!

Técnica n. 1 – Crie um plano!

A primeira técnica tem a ver com o planejamento da sua pesquisa.

Eu sempre insisto com o pessoal lá do Grupo 5 Estrelas que todo mundo precisa ter uma matriz de TCC.

A matriz, nada mais é que um mini-projeto de pesquisa.

Basicamente, você precisa definir o seus objetivos, hipóteses e metodologia.

Isso é muito importante, por que com essas informações, você consegue definir as etapas do trabalho.

A ideia é que cada um dos três objetivos específicos se transforme, depois, num dos capítulos do seu TCC.

Além disso, quando você tem uma hipótese, você direciona a pesquisa, pois todo o seu trabalho se resume a descobrir se essa hipótese será confirmada ou refutada.

E a metodologia científica, nem se fala, por que ela mostra quais serão os procedimentos da sua pesquisa.

Desse modo, tanto os objetivos, como as hipóteses e a metodologia tem um papel bem simples e importante: impedir que você se perca quando estiver escrevendo.

Mas você só vai conseguir fazer uma boa matriz se tiver um bom tema.

Por isso, eu criei um ebook que te mostra como criar um tema perfeito em apenas 4 passos.

Vou deixar o link na descrição para você baixar. Aproveita enquanto ainda é GRÁTIS!

Técnica n. 2 – Estabeleça metas

Não tem jeito… o nosso cérebro só funciona bem quando nós criamos bons hábitos!

Quer dizer, o cérebro é uma máquina de economia de energia, em busca da sobrevivência da espécie…

Então, ele não gosta de tomar decisões o tempo todo! Ele só quer achar os atalhos para fugir da dor e ir em direção ao prazer…

E o principal mecanismo para que nossa mente usa para isso é a criação de hábitos!

O cérebro automatiza as atividades para que elas sejam feitas sem ele ter que pensar e tomar decisões…

Só para você ter certeza disso, tenta se lembrar do momento em que você escovou os dentes ontem… da hora em que você fechou a porta quando saiu de casa… de quantas colheres de comida tinha o seu prato no almoço de domingo!

Provavelmente você não vai se lembrar, por que essas decisões não foram pensadas, elas já foram automatizadas pelo cérebro.

Então, o que você precisa fazer é treinar o seu cérebro, para que ele crie o hábito de fazer TCC e parece de te sabotar quando você começar a escrever!

Mas como é que se faz isso?

Técnica para fazer TCC rápido

É simples. Crie metas! Mas não qualquer meta…

O ideal é que você estabeleça metas pequenas, mas com muita regularidade.

Por exemplo, escrever quatro parágrafos por dia, todo dia, é uma meta muito melhor do que escrever três capítulos em um mês.

Isso por que se você tiver uma meta muito grande, o seu cérebro vai processar um grande desafio e vai enxergar um enorme custo de energia, então ele vai tentar te desviar do foco… aí vem a procrastinação!

Mas se tiver uma meta pequena, você tem uma chance maior de se concentrar no objetivo.

E se você escrever quatro parágrafos todos os dias, eu garanto que você escreve um artigo científico em bem menos tempo que um mês!

Quer testar? Pense aí na comida que você mais gosta…

Faça o teste!

Agora me diga: você acha mais fácil fazer a promessa de ficar sem comer essa comida por um ano, ou por um dia?

É claro que você consegue ficar um dia sem comer a sua comida preferida! Mas a grande mágica, é que amanhã você pode renovar a promessa! E depois de amanhã, e depois, e depois…

De repente, você cria o hábito de não comer aquela comida e aí você pode até conseguir ficar um ano ou até o resto da vida sem comer aquela comida.

Então, é exatamente isso que você precisa fazer. Avançar sempre! Um pouquinho de cada vez, mas todos os dias!

Na minha opinião, esse é o principal segredo para fazer um TCC sem sofrimento!

Técnica n. 3 – Gere um compromisso

Mas é fato que para criar um hábito, você precisa fazer um bom exercício de disciplina nos primeiros dias.

A cada dia que se passar, vai ficar mais fácil. Eu garanto!

Como é que você acha que eu consigo manter três empregos e ainda fazer um vídeo toda semana?

Então já fique logo sabendo que o seu cérebro vai te sabotar. Por isso, uma técnica boa é evitar criar um compromisso!

A ideia é simples: Você precisa mostrar ao seu cérebro que a principal dor não vai ser escrever pôs quatro parágrafos daquele dia, mas não atingir essa meta!

E como é que você faz isso?

É simples, ameace o seu cérebro, dizendo que ele vai passar uma grande vergonha se o dia terminar e os seus quatro parágrafos não estiverem escritos!

Portanto, você vai definir um horário para fazer o seu TCC. Eu recomendo que seja no máximo duas horas por dia!

E você vai contar para todo mundo que na hora tal você vai parar tudo o que estiver fazendo!

E aí você vai sentar em frente ao computador e escrever quatro parágrafos…

Aí você vai passar a ter um compromisso, uma torcida e, provavelmente, cobradores!

E, nesse caso, nem você, nem seu cérebro vão querer falhar… pois a dor da vergonha de não cumprir uma meta tão pequena será maior do que o trabalho de escrever!

Técnica n. 4 – Faça um roteiro

Outra técnica fundamental é criar um roteiro!

Eu não sei se você notou, mas todos os meus vídeos seguem mais ou menos um mesmo roteiro… Isso me ajuda demais!

Tendo um roteiro acaba aquela estória de não saber o que escrever, de se sentir sem criatividade, sem inspiração!

Você não precisa de nada disso! Você precisa saber é qual é o começo, o meio e o fim de cada capítulo… e ponto final!

Então pegue cada um dos seus objetivos, veja quais são os assuntos de cada um e crie tópicos!

Parta das ideias mais básicas, como conceitos, classificações, histórico e características…

E termine com ideias mais complexas, tais como causas e consequências, problemas, relações com outras coisas, etc.

Fazendo isso, vai fica ridiculamente fácil redigir um TCC.

Você vai ter uma espécie de checklist, que vai evitar que você não saiba exatamente o que deve escrever em cada um dos seus parágrafos!

Técnica n. 5 – Pesquisa Bibliográfica / Revisão de Bibliografia

A sétima técnica é óbvia, mas a maioria das pessoas não aplica!

Eu não sei se você gosta de cozinhar… mas pensa aí comigo: qual é a primeira coisa que se deve fazer na maioria das receitas?

Acender o fogo da panela ou separar os ingredientes?

É lógico que, pelo menos na maioria dos casos, você primeiro separa os ingredientes… e só depois que eles estão ali prontinhos é que você acende o fogo e começa a aplicar a receita!

Por isso, eu não entendo por que as pessoas querem começar a escrever antes de ler textos sobre o assunto do TCC!

Lembre que o TCC é uma pesquisa, então, comece pesquisando! O texto que você irá escrever é apenas um relato do que você encontrar na pesquisa.

Logo, não dá para escrever sem antes ter lido algo sobre o assunto!

Você pode ler sobre o assunto do capítulo inteiro do seu TCC e depois escrever.

Mas, se você tiver um roteiro, você pode ler apenas sobre um dos tópicos e depois escrever o texto! Essa, para mim, é a melhor técnica!

Técnica n. 6 – Corte as possíveis distrações para ter 100% de foco

Uma coisa que atrapalha muito as pessoas é o excesso de informação.

É muito comum que a pessoa se sente em frente ao computador para escrever e coloque ao lado livros, revistas e outros textos.

Esse pode ser um pecado mortal! Não crie oportunidades para o seu cérebro desviar sua atenção!

Se você ainda não terminou de pesquisar, não escreva!

Mas se você já terminou de ler todos esses textos que pesquisou, comece o trabalho de redação, copiando e colando as citações para o word.

Depois, guarde todos os livros, papéis, canetas ou qualquer coisa que possa te distrair. Celular e tablet, nem pensar!

Quando eu vou escrever, procuro deixar apenas o teclado e o mouse sobre a mesa… assim, não tem a menor chance de alguma coisa tirar o meu foco!

Eu fico totalmente concentrado em escrever a quantidade de parágrafos planejada e quase sempre faço mais que o previsto, em menos tempo.

Mas isso não acontece por talento ou por dom, mas principalmente por causa dessas técnicas e por meses treino.

Nesse sentido, você pode observar que fazer um TCC nada mais é que realizar uma série de atividades repetitivas, de forma regular e objetiva.

Referencial teórico

Portanto, o processo tem etapas bem definidas:

1 – Primeiro, separe os textos;

2 – Depois, leia os textos;

3 – Durante a leitura, grife as partes mais importantes;

4 – Quando terminar de ler, copie as partes grifadas e cole no seu editor de textos, como citações;

5 – Guarde os papéis e esconda todas as coisas que puderem te atrapalhar;

6 – Por fim, sente-se só você e o computador e escreva uma quantidade determinada de parágrafos sobre aquelas citações.

Quando terminar, repita o processo, até acabar o seu referencial teórico.

Técnica n. 7 – Faça parágrafos pequenos

Porém, uma técnica que realmente faz diferença é escrever parágrafos pequenos.

Um parágrafo de TCC, na minha opinião, não deve passar de quatro linhas.

O ideal é que um parágrafo tenha três frases, cada uma com no máximo vinte palavras.

Eu não vou entrar muito em detalhes sobre isso, até por que eu já fiz um artigo só sobre como escrever parágrafos para o seu TCC.

No entanto, eu só expliquei que os parágrafos pequenos ajudam na avaliação do trabalho. Na verdade, eles ajudam muito mais na escrita!

Quando você tem uma meta de escrever, por exemplo, quatro parágrafos por dia, mas percebe que em poucos minutos já fez um ou dois…

O seu cérebro sente a sensação de prazer, de realização! Aí, doutora… você começa a sair da zona de sofrimento para a zona da motivação!

A sensação do dever cumprido e a realização de ver o texto se concretizando são maravilhosas!

Elas vão fazer com que sua criatividade seja liberada e aí as coisas vão fluir cada vez melhor!

É impressionante como conseguir fazer o básico, bem feito, acaba te impulsionando a subir de nível! A querer fazer mais e melhor!

Por isso, não queira inventar a roda, não use palavras difíceis e não escreva parágrafos grandes. Escreva o óbvio acerca das evidências e isso tornará você genial!

Pera aí! Você já notou que em absolutamente todos os meus artigos, inclusive esse, é exatamente isso que eu tento fazer?

Talvez seja por isso que você esteja aqui. Você quer a informação completa, mas mostrada de forma simples, não é?

Então, por favor, me ajuda! Compartilha esse post nas suas redes sociais para que essa mensagem chegue a mais pessoas!

Técnica n. 8 – Priorize clareza e ganhe qualidade

Por fim, a última técnica é simplesmente não se preocupar com a qualidade do texto.

Calma! Eu não quero que o seu trabalho fique ruim… nada disso!

Mas é fato que quando as pessoas ficam preocupadas com a qualidade do texto, elas acabam travadas e não conseguem avançar!

A preocupação com a qualidade é como uma areia movediça!

Ela é ca paz de te prender a uma frase que você não gostou, por um dia inteiro…

Pois você acaba não escrevendo mais nada enquanto essa frase não ficar perfeita… Só que não existe nada perfeito, você entende?

Pense o seguinte: é melhor ter um texto ruim, do que não ter texto nenhum! Você não concorda?

Parágrafo de TCC

Então não escreva pensando na qualidade, preocupe-se com três coisas:

1 – Quantidade;

2 – Clareza;

3 – Coesão.

Quando estiver escrevendo, não conte as palavras, nem as linhas e não se preocupe com a qualidade do texto. Apenas escreva e avance!

Procure apenas dar clareza aos parágrafos!

Quer dizer, coloque apenas uma ideia em cada parágrafo e sustente essa ideia. Escreva o que você entende sobre as citações que coletou. Depois, passe para outro parágrafo.

Mas procure usar palavras conectivas, que liguem um parágrafo no outro.

Essas palavras e termos conectivos são as expressões: desse modo, então, por isso, no entanto, porém, primeiramente, etc.

Elas ligam um parágrafo com o outro e isso faz com que o texto fique coerente.

Seguindo essa técnica, a qualidade vai aparecer naturalmente!

Mas é claro que depois que atingir a sua meta de parágrafos do dia… Você poderá ler o que escreveu e melhorar o que quiser.

Conclusão

Pronto! Eu tenho certeza que agora o seu desenvolvimento de TCC vai sair da estagnação.

Pelo amor de Deus, não deixa de aplicar o que eu te passei hoje aqui!

Se você fizer pelo menos algumas dessas coisas, com certeza a sua produtividade vai aumentar e o seu TCC vai sair antes do prazo.

E você? Está em que parte do trabalho? Você está conseguindo escrever com a velocidade que desejaria? Já tentou aplicar alguma dessas técnicas?

Me conta aqui embaixo nos comentários!

E aproveita para deixar aí umas palavras de incentivo para a Aline se motivar ainda mais a avançar com o TCC dela!

Um abraço e até o próximo artigo!

Veja no Youtube: https://youtu.be/Q6tOBzxEvRI

Citação de Lei e Citação de Jurisprudência

Citação de Lei e Citação de Jurisprudência

Uma das perguntas mais recorrentes que eu recebo é sobre como fazer citação de lei e citação de jurisprudência.

Mesmo para quem já é da área jurídica isso é um problema, pois os documentos legais e judiciais normalmente não têm um autor.

E você já sabe que para fazer qualquer citação nós precisamos saber três informações básicas:

1 – O autor;

2 – O ano;

3 – E a página.

Então, as pessoas acabam ficando perdidas quando precisam citar uma lei ou uma jurisprudência e, infelizmente, na maioria dos casos acabam errando.

Eu sou o Professor André Fontenelle e resolvi fazer esse artigo para evitar que você entre nessa estatística de pessoas que perdem pontos no TCC por que fizeram as citações erradas.

Então, eu vou te mostrar primeiro como são feitas as citações comuns e em seguida vou te mostrar como fazer referência bibliográfica e citação, tanto de lei como jurisprudência.

Citações

Então vamos lá!

A primeira coisa que você precisa saber é que existem 03 tipos de citação:

1 – A citação direta;

2 – A citação indireta; e

3 – A citação de citação.

Citação Direta

Citação direta é quando você simplesmente copia um texto qualquer e cola no seu TCC.

É isso mesmo, você faz uma citação direta quando literalmente copia um texto de outra pessoa.

Então, você tem que deixar claro quem foi que escreveu aquilo, onde foi escrito e quando.

Por isso, quando faz uma citação direta, você tem a obrigação de informar o autor, o ano da publicação e a página da publicação em que o texto foi retirado.

Além disso, a citação direta pode ser curta ou longa.

Quando o texto que está sendo citado ocupa até três linhas no seu TCC, ele vira uma citação direta curta.

Aí você faz a citação dentro de um parágrafo normal, colocando o texto entre aspas.

Porém, quando o texto que está sendo citado ocupa a partir de quatro linhas do seu TCC, ele vira uma citação direta longa.

Aí, você tem que fazer um parágrafo especial só para colocar essa citação.

Esse parágrafo especial deve ter um recuo de quatro centímetros, da esquerda para a direita.

Ele não tem nenhum espaçamento adicional na primeira linha, mas os espaços entre linhas devem ser simples e não de um centímetro e meio, como deve ser no resto do trabalho.

Além disso, esse parágrafo especial deve ser justificado e a fonte deve ter um tamanho menor que o resto do texto.

Citação Indireta

Já a citação direta ocorre quando você vai usar um texto de outra pessoa no seu trabalho, mas não vai simplesmente copiar e colar.

A citação direta ocorre quando você vai parafrasear o texto de alguém, quer dizer, quando você vai reescrever com as suas palavras uma ideia tirada de outro texto qualquer.

Então, quando faz uma citação indireta, você não precisa se preocupar com formatação nenhuma.

Basta informar o autor do texto em que você tirou aquela ideia e o ano da publicação e pronto, tá tudo certo!

Citação de citação

Já a citação de citação é quando você vai citar uma coisa que já foi citada por outra pessoa.

É assim:

1 – O autor número 1 escreveu um texto ;

2 – Depois o autor número 2 escreveu outro texto e fez uma citação tirada do texto do autor número 1;

3 – Aí vem o autor número 3, que é você, e também quer fazer a citação do autor número 1, mesmo sem ter lido o texto dele…

Quer dizer, você só tem o texto do número 2 onde ele menciona uma citação do autor número 1.

Então, você pode fazer uma citação de citação.

Para isso, você pode usar a expressão apud, que significa “citado por”.

Exemplo

Então o seu texto ficaria mais ou menos assim:

“Segundo o autor número 1 apud autor número 2” quer dizer, “segundo o autor número 1 citado pelo autor número 2”… aí você colocaria a citação.

É só isso que diferencia os tipos de citação…

Agora, só tem mais duas coisas que você precisa saber:

1 – A primeira delas é que o ano da publicação e o número da página sempre devem aparecer dentro de parênteses, porém o nome do autor pode ser informado tanto dentro quanto fora dos parênteses.

2 – A segunda coisa é que o sobrenome do autor deve ficar em caixa alta, que dizer, todo em letras maiúsculas quando estiver dentro dos parênteses, mas quando estiver do lado de fora dos parênteses, deve ser escrito normalmente.

Pronto! Agora você já sabe as informações básicas para fazer qualquer citação.

Mas isso não vai adiantar nada se você não tiver uma coleção de citações para colocar no seu trabalho.

Por isso, eu recomendo que você faça um fichamento para o seu TCC. Eu tenho uma planilha que pode te ajudar a fazer isso…

Vou deixar o link na descrição, para você fazer o download gratuito.

Citação de site ABNT

A outra questão a ser observada é o jeito de como fazer referência de site.

Isso é importante por que a imensa maioria das leis e jurisprudências que você for usar no seu trabalho, serão tiradas da internet.

É que existem algumas diferenças entre documentos físicos e eletrônicos.

Por exemplo, na citação de site normalmente você não tem a data de publicação, então você deverá registrar a data de acesso ao documento.

Além disso, você precisa informar o link onde está a publicação.

Eu não vou entrar em muitos detalhes sobre isso, exatamente por que aqui no blog tem um artigo só para explicar como você deve fazer citação de site.

Então, aproveita e se inscreve lá no meu no canal no Youtube, pois assim você receberá um aviso sempre que eu postar um vídeo novo.

Referencia bibliográfica – citação de lei

[sociallocker id=”14211″]
Dito isso, vamos agora ver as peculiaridades da citação de lei e o grande segredo para isso é aprender a fazer as referências bibliográficas.

A ABNT estabelece que são elementos essenciais das referências de lei:

1 – A jurisdição (ou cabeçalho da entidade, no caso de se tratar de normas);

2 – O título;

3 – A numeração;

4 – A data; e

5 – Os dados da publicação.

Observe que a norma não tem autor, mas jurisdição.

Quer dizer, é como se o autor de uma lei federal fosse apenas Brasil, o autor de uma norma estadual fosse o nome do estado, e o autor de uma norma municipal fosse o nome da cidade.

Já o título é a soma do nome da norma, da numeração da lei e da ementa.

Além disso, a data, normalmente é o dia em que a norma foi publicada.

Por fim, os dados de publicação se referem, como o nome já diz, à publicação onde você viu a lei… pode ser um livro, pode ser um diário oficial e até uma página da internet.

Veja um exemplo:

BRASIL. Lei n. 10.406, de 10 de janeiro de 2002. Institui o Código Civil. Diário Oficial da União, Brasília-DF, 11 de janeiro de 2002. Disponível em: <http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/2002/l10406.htm>. Acesso em: 17 de setembro 2018.

Citação de lei

Aí fica fácil fazer qualquer citação dessa lei! Você só precisa informar a jurisdição, que no exemplo é BRASIL, o ano da publicação, que no exemplo é 2002, bem como o número da página.

Veja como ficaria uma citação direta:

Conforme estabelece o Código Civil, em seu art. 966, “Considera-se empresário quem exerce profissionalmente atividade econômica organizada para a produção ou a circulação de bens ou de serviços” (BRASIL, 2002, p. 48).

Assim ficou fácil, não foi?

Referencia bibliográfica – citação de jurisprudência

Agora vamos fazer o mesmo procedimento em relação às jurisprudências.

Só para situar as pessoas que não são da área jurídica, jurisprudências são sentenças, acórdãos, súmulas e outras decisões judiciais.

Segundo a ABNT os elementos obrigatórios das referências de jurisprudência são:

1 – A jurisdição e o órgão judiciário competente;

2 – O título e o número;

3 – As partes envolvidas (se houver);

4 – O relator;

5 – O local;

6 – A data; e

7 – Os dados da publicação.

Veja o exemplo de citação de jurisprudência: Habeas-Corpus julgado pelo STF:

BRASIL. Supremo Tribunal Federal. Hábeas-Corpus n. 82.959. Impetrante: Oseas de Campos. Coator: Superior Tribunal de Justiça. Rel. Min. Marco Aurélio. Brasília, DF, 23 de fevereiro de 2006. Diário da Justiça, Brasília-DF, 1 de setembro de 2006. Disponível em: <http://redir.stf.jus.br/paginadorpub/paginador.jsp?docTP=AC&docID=79206>. Acesso em: 17 de setembro 2018.

Nesse caso, a citação de jurisprudência poderia ficar assim:

Conforme o voto do relator, Ministro Marco Aurélio, “a definição do regime e modificações posteriores não estão compreendidas na individualização da pena” (BRASIL, 2006, p. 517).

Pronto. É só isso! Pegou aí?
[/sociallocker]
Então, agora você só precisa seguir esse modelo como padrão para todas as normas e jurisprudências que vier a citar no seu trabalho.

Acho que eu já posso pedir para você compartilhar esse post nas suas redes sociais, não é?

Então compartilha aí!

Conclusão

Nesse artigo você aprendeu quais são os três tipos de citação e como elas deve ser feitas.

Em seguida viu como se deve fazer as referências bibliográficas e as citações de lei e de jurisprudência.

Então me conta aí nos comentários se você conseguiu fazer a sua citação de lei e jurisprudência direitinho… Ou se você ainda tem alguma dúvida.

Grande abraço e até o próximo post!

Citação direta e indireta – Como fazer citação de acordo com as normas ABNT

Como fazer citação direta e indireta de acordo com as normas ABNT 2018

As citações são a matéria-prima do seu TCC.

De fato, sem citação, não existe referencial teórico e sem referencial teórico não existe pesquisa.

Então não tem escapatória! Se tem uma aspecto essencial sobre como fazer um TCC… pode ter certeza que é o bom uso das citações!

Desse modo, se você não souber usar a citação direta e indireta corretamente, eu garanto que você vai perder muitos pontos de formatação, seu trabalho vai perder qualidade e você pode até reprovar por plágio!

Então saia dessa… Mas não sofra por antecipação!

Eu sou o Professor André Fontenelle e nesse artigo você vai:

1 – Conhecer todos os tipos de citação direta e indireta;

2 – Descobrir como fazer citação direta e indireta do jeito certo;

3 – E conferir alguns exemplos bem práticos de citação.

Mas antes, aproveita para baixar o brinde que vai dar um rumo que o seu TCC precisa:
ebook temas para TCC.pdf

Citação Direta e Indireta

Basicamente, existe três tipos de citação:

1 – A citação direta;

2 – A citação indireta;

3 – E a citação de citação.

citação direta e indireta
Citação direta e indireta

Vamos conhecer melhor cada um desses três tipos:

Citação Direta

O primeiro deles é a citação direta, que é a transcrição idêntica do texto de outra pessoa no seu TCC.

Esse tipo de citação pode ser feita de duas formas: a citação direta curta e a citação direta longa.

A citação direta curta é a que tem no máximo três linhas. Ela deve ser colocada entre aspas duplas, dentro de um parágrafo normal.

Já a citação direta longa é aquela que tem mais de três linhas. Ela deve aparecer em um parágrafo especial.

Esse parágrafo especial deve ter exatamente quatro centímetros de recuo, contados a partir da margem esquerda em direção ao lado direito.

Além disso, esse parágrafo especial não deve ter aspas e as letras dele devem ter um tamanho menor do que as letras dos parágrafos normais.

Citação indireta

O segundo tipo é a citação indireta, no qual você deve escrever com suas ptóprias palavras uma ideia que você tirou de outro texto.

Essa é a melhor forma de citação, pois ela demonstra que você não apenas teve o trabalho de coletar uma informação.

Ela mostra, também, que você fez o esforço de interpretr e de reescrever essa ideia com as suas próprias palavras.

E isso, evidencia que você realmente domina o assunto, já que consegui fazer análises críticas, elevando com isso o seu conceito perante os avaliadores.

A citação indireta aumenta muito a qualidade do trabalho, então você deve privilegiar o uso dela sempre que puder no seu TCC.

Citação de citação

E o terceiro tipo é a citação de citação, que nada mais é que a citação direta ou a citação indireta de um texto que você usou mesmo sem ter visto o texto original.

Quer dizer, imagine que você está lendo um texto e de repente acha uma citação importantíssima. Você, então, resolve usá-la no seu trabalho.

Mas daí então você procura, procura e não consegue achar o original daquela obra que gerou a citação. Mas você quer usar mesmo assim!

Então você resolve transcrever a citação no seu TCC, retirando ela lá do texto que já estava fazendo uma citação.

É a cópia de uma cópia! Eu nem preciso dizer que a grande maioria dos avaliadores não gosta disso, não é?

Mas se essa citação for realmente sensacional, você pode fazer… E essa, com certeza, será uma citação de citação.

Como fazer citação direta e indireta

Eu não sei se você está notando…

Porém, mesmo existindo várias formas de se fazer uma citação, ela será sempre direta ou indireta.

No entanto, seja qual for o tipo de citação que você for fazer, existem três informações básicas para você trabalhar:

1 – A autoria;

2 – O ano de publicação;

3 – E o número da página.

Quanto ao ano de publicação não tem nenhum mistério, sua tarefa vai ser apenas anotar e informar.

Porém, o primeiro cuidado que você deve ter é com o fato de que o número da página é uma informação obrigatória nas citações diretas.

Logo, se, por qualquer motivo, você não tiver o número da página, então você também não terá opção, pois o único jeito seguro será fazer uma citação indireta.

Além disso, em relação à autoria, você deve informar o sobrenome do autor.

Porém, pode ser que a obra que você estiver citando simplesmente não tenha um autor definido. Então você deve informar a instituição responsável.

E se você não tiver nem o nome do autor, nem o de uma entidade?

Nesse caso, você deve informar o título da obra.

Sistema autor-data e sistema numérico

Além disso, existem dois sistemas que você pode usar para apresentar as citações: o sistema autor-data e o sistema numérico.

No sistema numérico você usa notas de rodapé para fazer as citações.

Eu não acho isso legal, por que se você usar esse sistema, você não vai ter o direito de fazer notas de rodapé para outras coisas, como comentários e traduções, por exemplo.

Isso por que no sistema numérico, as notas de rodapé só podem ser usadas para fazer as citações.

Então é melhor usar o sistema autor-data, com certeza!

Nesse sistema você apresenta as citações no próprio texto, com as informações entre parênteses.

Mas você ainda vai ter três opções diferentes de fazer isso.
ebook temas para TCC.pdf

Sistema autor-data

Como exemplo, para fazer citação direta e indireta, vou usar um trecho que eu tirei da página 171, do livro Direito Empresarial Esquematizado, do Professor André Luiz Santa Cruz Ramos, que foi publicado em 2016, cujo texto diz o seguinte:

“A grande diferença entre o empresário individual e a sociedade empresária é que esta, por ser uma pessoa jurídica, tem patrimônio próprio, distinto do patrimônio dos sócios que a integram.”

Como primeira opção, você pode informar o sobrenome do autor fora dos parênteses e dentro deles o ano e o número da página. Mas nesse caso, só a primeira letra do sobrenome será maiúscula.

Exemplo de Citação Indireta

Nesse caso, a citação poderia ficar assim:

Diante do expõe Ramos (2016, p. 171), o empresário individual não se confunde com uma pessoa jurídica, por que não há divisão entre o seu patrimônio pessoal e o patrimônio da empresa.

Já a segunda opção seria informar o sobrenome do autor e colocar só o ano entre parênteses.

Depois, você faria a citação e, só no final da frase, colocaria a página entre parênteses.

Exemplo de Citação Indireta

Então veja como ficaria:

De acordo com o que ensina Ramos (2016), o patrimônio da sociedade empresária não se confunde com o patrimônio dos seus sócios (p. 171).

Por fim, como terceira opção, você poderia fazer a citação normalmente e, só no fim, inserir entre os parênteses tanto o sobrenome do autor, como o ano e o número da página.

Mas preste atenção! Nesse caso o sobrenome do autor tem que estar todo em letras maiúsculas.

Exemplo de Citação Direta

Observe como ficaria:

Fica claro que a sociedade empresarial, “por ser uma pessoa jurídica, tem patrimônio próprio, distinto do patrimônio dos sócios que a integram.” (RAMOS, 2016, p. 171).

Conclusão

Você viu?

Eu fiz três exemplos de citação direta e indireta completamente diferentes, entretanto, com base no mesmo texto.

Na verdade, isso foi possível por que eu fiz duas citações indiretas.

Isso me permitiu falar com as minhas próprias palavras o que eu interpretei ao ler o texto do Professor André Luiz Santa Cruz Ramos.

E eu ainda informei o número da página, que nem era obrigatório nas citações indiretas.

Mas eu também, fiz uma citação direta, em que eu simplesmente copiei o texto do professor e colei no meu trabalho, informando, é claro, quem é o autor verdadeiro.

É exatamente esse exercício que você precisa fazer no seu TCC, sempre procurando fazer mais citações indiretas do que diretas.

Mas agora eu quero saber! Você fez mais citações diretas ou indiretas no seu TCC? Será que não vale a pena repensar algumas partes do texto?

Fala aí para mim nos comentários!

E se você leu esse artigo até o final, eu acho que já posso pedir para você compartilhar o artigo nas suas redes sociais, não é?

Então, um abraço e até o próximo artigo!

Veja o vídeo aqui: https://youtu.be/KgOxdpAG-q8
ebook temas para TCC.pdf

Citação Direta: Como fazer citações em trabalhos acadêmicos (TCC), segundo normas ABNT

Quer fazer citações da maneira correta no seu TCC? Então você achou o artigo certo sobre a famosa citação direta, que é a mais comum no TCC.

Depois de vários anos como orientador e membro de bancas de TCC, eu já estou cansado de ver problemas com alunos que não sabem como fazer citação.

Você não tem ideia de como é chato ter que refazer a formatação depois do TCC pronto! Pior, ser acusado de plágio, mesmo tendo agido de boa fé… Ou até ser reprovado por falta de qualidade do trabalho!

Eu já vi muita gente boa sendo prejudicada por não ter recebido a informação correta, mas isso não vai acontecer com você.

Eu sou o professor André Fontenelle e nesse artigo vou te ensinar como fazer citações diretas, sem chance de erro!

Você vai conseguir fazer seu TCC muito mais rápido, não vai precisar se preocupar com plágio e nem com formatação. E no final seu trabalho ainda vai ficar com muito mais qualidade!

Para isso, vou te explicar o que é e como se classifica a citação direta. Depois vou te mostrar como fazer, mostrando alguns exemplos. E no fim ainda vou te dar 03 dicas extras.

BRINDE: Aproveite e baixe grátis o Ebook sobre “Temas para TCC”: https://andrefontenelle.com.br/tema
ebook temas para TCC.pdf

O que é citação direta?

Segundo a ABNT (2002, p. 2), citação direta é a “transcrição textual de parte da obra do autor consultado”.

Em outras palavras, citação direta é quando você copia exatamente o texto que alguém escreveu e cola no seu trabalho.

Mas isso não seria plágio? Bom, se você segue as regras de formatação e informa quem é o autor do texto, isso é um exemplo de citação e não um plágio.

Agora, se você não disser da maneira correta de quem você está copiando aquilo, aí você entra numa encrenca!

Além de correr um grande risco de reprovar no TCC, você estará praticando crime de violação de direito autoral, que é previsto no art. 184 do Código Penal e pode render pena de três meses a um ano de detenção.

É melhor evitar, não é?

Qual é a classificação das Citações Diretas?

Primeiro, quero que você saiba que existem 03 tipos de citações: as citações diretas, as citações indiretas e as citações de citações.

Eu vou falar dos outros 02 tipos em outros artigos. Agora, nós vamos nos concentrar apenas nas citações diretas, que se dividem em outros 02 tipos: a citação direta curta e a citação direta longa.

Citação direta curta

A citação direta curta é aquela que tem, no máximo, 03 linhas.

Ela deve ser inserida entre aspas duplas dentro de um parágrafo normal, se misturando com o seu texto.

Citação direta longa

Já a citação direta longa é aquela que tem pelo menos 04 linhas ou mais.

Nesse caso, você tem que fazer um parágrafo especial. Esse parágrafo deve ter 4cm de recuo, uma fonte menor, sem aspas e com espaçamento simples entre as linhas.

Dá pra ver que é bem diferente, não é? Enquanto a citação curta deve ficar misturada com o texto, a longa deve ser bem destacada.

Citação Direta ABNT

Os conceitos e a forma correta de fazer citação direta estão na norma ABNT NBR 10.250:2002.

É lá que consta essa classificação e as regras de formatação que eu vou te mostrar como fazer a partir de agora.

Como fazer Citação Direta

De um modo geral, quando você fizer uma citação direta, você deve inserir 03 informações:

1 – O último sobrenome do autor;
2 – O ano de publicação da obra, e;
3 – O número da página do texto copiado.

Existem também, 03 modos de apresentar essas informações:

1 – Você pode informar o sobrenome do autor e entre parênteses colocar o ano e a página.
Fórmula: Sobrenome (ano, página) seguida da citação;

2 – Você também pode informar o sobrenome do autor e colocar o ano entre parênteses, em seguida fazer a citação e só depois dela colocar a página entre parênteses.
Fórmula: Sobrenome (ano), citação (página);

3 – Por fim, você pode fazer a citação e inserir entre parênteses o sobrenome, o ano e a página. Mas nesse caso, o sobrenome do autor tem que estar todo em letras maiúsculas.
Fórmula: Citação (SOBRENOME, ano, página).

Perceba que apenas quando o sobrenome do autor está dentro dos parênteses é que ele deve aparecer em letras maiúsculas.

Observe também que a página é sempre indicada apenas pela letra “p”, minúscula, seguida de um ponto.

Apenas a título de exemplo, imagine que você irá citar o texto de um autor hipotético, chamado “Fulano”, publicado em 2009, na página 225 da obra.

Vamos ver como isso funciona na prática, a começar pelo exemplo de citação direta curta.

Exemplo de Citação Direta Curta

No primeiro exemplo, você pode ver a fórmula do sobrenome do autor e entre parênteses o ano e a página, antes da citação direta curta:

De acordo com Fulano (2009, p. 225), “XXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXX”.

No segundo exemplo, você pode ver o sobrenome do autor, o ano entre parênteses, a citação direta curta e no fim a página entre parênteses:

Conforme demonstra o estudo de Fulano (2009), evidencia-se que “XXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXX” (p. 225).

No terceiro exemplo, você pode ver citação direta curta e só no fim o sobrenome em letras maiúsculas, o ano e a página entre parênteses:

Em análise do assunto tal do contexto qual, observa-se ser “XXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXX” (FULANO, 2009, p. 225).

Todas essas 03 fórmulas estão corretas e você pode usar da maneira que melhor ficar apresentável no seu texto.
ebook temas para TCC.pdf

Exemplo de Citação Direta longa

E desse mesmo jeito você pode fazer a citação direta longa. Vamos ver os 03 exemplos com as 03 fórmulas.

Exemplo 1: Sobrenome do autor e entre parênteses o ano e a página, antes da citação:

 

 

Exemplo 2 – Sobrenome do autor, o ano entre parênteses, a citação e no fim a página entre parênteses:

 

 

Exemplo 3 – Primeiro a citação e no fim o sobrenome em letras maiúsculas, o ano e a página entre parênteses:

 

 

Viu como é fácil fazer citação direta no TCC? Mas eu ainda tenho 03 dicas importantes para você!

Dica extra n. 1: Solução para os casos em que a citação direta for muito grande

Um dos maiores problemas com a citação direta, especialmente a longa, é o risco de a banca achar que você está “enchendo linguiça”.

E o pior é que é muito comum encontrar citações enormes que não estão totalmente contextualizadas com o resto do texto.

Muitas vezes, o aluno só precisa de algumas partes dessa citação e por isso acaba digitando ela toda por que não sabe como separar os trechos.

A solução para isso é usar uma supressão, quer dizer, inserir um par de colchetes com reticências no meio. Esse sinal vai indicar que uma parte daquele texto não foi usada.

Veja o exemplo:

Nesse sentido, é importante constatar que:

XXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXX […] XXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXX XXXXX […] XXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXX
XXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXX. (FULANO, 2009, p. 225).

Dica extra n. 2: Partes destacadas nas citações

Outra dificuldade muito comum é quando o texto a ser citado tem algum destaque, como trechos com itálico, sublinhado ou negrito. O fato que nem todo mundo conhece é que a citação deve reproduzir fielmente esses destaques.

Nesse caso, além do sobrenome, do ano da publicação e do página, você deve inserir a expressão “grifo do autor”, na citação.

Veja o exemplo:

Em análise do assunto tal do contexto qual, observa-se ser “XXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXX” (FULANO, 2009, p. 225 , grifo do autor).

Por outro lado, se é você quem faz algum destaque na citação, o certo é usar a expressão “grifo nosso”.

Exemplo:

Em análise do assunto tal do contexto qual, observa-se ser “XXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXX” (FULANO, 2009, p. 225 , grifo nosso).

Dica extra n. 3: Citação direta de Lei e de outras obras de pessoas jurídicas

Uma última questão recorrente é como fazer citação direta de Lei. Mas não tem mistério nenhum!

A única peculiaridade é que no lugar de informar o sobrenome do autor, você deve informar a entidade responsável pela norma. Isso serve, inclusive, para qualquer outro tipo de publicação que tenha sido feita por uma pessoa jurídica.

Veja o exemplo:

O Código Civil, Lei n. 10.406, de 10 de janeiro de 2002, estabelece que “Art. 966. Considera-se empresário quem exerce profissionalmente atividade econômica organizada para a produção ou a circulação de bens ou de serviços”. (BRASIL, 2015, p. 65)
ebook temas para TCC.pdf

Conclusão

Bom, no início do artigo eu prometi que você iria conseguir fazer citações diretas. Eu tenho certeza que você aprendeu certinho e não vai ter nenhuma dificuldade! Viu como é fácil?

Espero que agora você tenha 100% de segurança para fazer o seu TCC, sem errar a formatação e evitando totalmente qualquer risco de plágio.

Então acho que posso te pedir para compartilhar esse artigo, não é? Pode ser em qualquer uma das suas redes sociais, até aquela que você quase não usa! Vai lá, isso é muito importante para mim!

Mesmo assim, se você ainda tiver alguma dúvida, crítica, sugestão ou se você quiser simplesmente me agradecer… Deixa um comentário aqui abaixo do artigo! Eu vou ler e com certeza vou ficar muito feliz!

Um abraço e até breve!

Veja também: https://www.youtube.com/watch?v=bo5OkCTGNks

Conclusão de TCC – Como fazer a conclusão do seu trabalho em 09 passos simples [guia completo]

Conclusão de TCC – Como fazer a conclusão do seu trabalho em 09 passos simples [guia completo]

Depois de tanto tempo e esforço, finalmente chegou a hora de fazer sua conclusão de TCC!

Aposto que você deve estar sentindo um misto de sensações: primeiro um alívio por estar acabando o TCC, mas também uma certa dúvida sobre como fazer a conclusão. Acertei?

Eu sou o professor André Fontenelle e nesse artigo vou te ensinar como fazer uma conclusão de TCC, passo a passo!

Você vai finalmente terminar seu TCC, com uma conclusão direta, objetiva e que vai garantir uma excelente nota para o seu trabalho!

Para isso, primeiro vou te ensinar a diferença entre conclusão e análise de resultados. Depois, a diferença entre conclusão e considerações finais. E no fim vou te mostrar o passo a passo para uma conclusão nota 10.

[toc]
Ainda preparei um BRINDE para te presentear. Baixe aqui um modelo de resumo para o seu TCC: https://andrefontenelle.com.br/resumo-tcc/

Ah! E não esquece de compartilhar esse artigo em qualquer uma das suas redes sociais. Basta clicar num dos ícones de redes sociais espalhados aqui na página. É uma coisa simples para você, mas de grande importância para mim!

ebook temas para TCC.pdf

Conclusão de TCC e Análise de Resultados

A primeira coisa que você tem que saber é que a conclusão de TCC não se confunde com a análise dos resultados.

É muito comum ver trabalhos em que o aluno resolve discutir e avaliar as informações coletadas na pesquisa apenas na conclusão.

Esse é um dos erros mais comuns que eu vejo nas bancas de TCC.

Pense comigo, se você ainda está analisando as informações da pesquisa, então seu trabalho não terminou, concorda?

Na verdade, a estrutura do TCC tem uma parte só para que seja feita uma avaliação dos dados que você coletou. É o capítulo que as pessoas chamam de “Análise de resultados” ou então “Discussão e análise”.

Na verdade, quando você for fazer a conclusão, seu trabalho já estará acabado. Quer dizer, você não pode inserir nenhum elemento novo em relação à pesquisa.
A conclusão, na verdade é uma espécie de relatório geral sobre o trabalho, em que você vai fazer um balanço sobre como a pesquisa foi feita.

Conclusão de TCC e Considerações finais

A conclusão de TCC também não deve se confundir com as considerações finais.

Na verdade, vou confessar!

Eu nem concordo muito com essa divisão, pois acho que no fundo são dois nomes que se dá para a mesma coisa.

Porém eu não estou aqui para questionar a metodologia científica, mas para facilitar sua vida e te mostrar como as coisas são entendidas no meio acadêmico.

Então vamos lá!

“Considerações Finais” é o termo mais utilizado, pois indica que ali estão apresentadas as conclusões só daquela pesquisa.

Quer dizer, considerações que não determinam o fim da discussão sobre aquele tema, pois poderão ser contestadas por outras pesquisas.

Por isso é que as pessoas rejeitam o termo “conclusão”, pois ele significaria que aquele assunto estaria encerrado, com a verdade final sobre o tema.

Convenhamos, nenhum pesquisador, de nenhuma área, por mais excepcional que seja seu conhecimento e sua capacidade, jamais poderá alegar que sua pesquisa revelou o conhecimento final sobre um assunto.

Nós sabemos que a característica principal do conhecimento científico é ser infinito, diante da capacidade de percepção humana.

Portanto, partindo desse pressuposto, nunca deveria existir conclusão numa pesquisa científica.

Mas isso não tem nada a ver! Trata-se de uma mera discussão acadêmica sobre o melhor apelido a ser dado para a parte final do trabalho.

O que você deve fazer mesmo é perguntar qual é o termo indicado pela sua faculdade e pronto. Seja qual for, conclusão ou considerações finais, use ele no seu TCC e ponto final!

Conclusão de TCC passo a passo

Bom, mas vamos ao passo a passo… O que você tem que escrever na conclusão, ou nas considerações finais do TCC?

A primeira coisa que você deve ter em mente é que a conclusão de TCC tem que ser escrita para alguém que nunca leu o seu trabalho. Isso mesmo!

A conclusão, depois da introdução, é a segunda parte mais importante do TCC, pois é muito comum que o leitor comece lendo essas partes do seu trabalho.

Então você deve se esforçar para convencer alguém que ainda não leu sua pesquisa, de que ela é boa, relevante e merece ser lida.

Como membro de banca, tenho de confessar que muitas vezes começo lendo o TCC pela conclusão ou pela introdução. E essa primeira impressão é determinante para a minha avaliação final.

Primeiro Passo – Tema e Justificativa

Então você deve começar com um parágrafo breve, em que você apresenta o tema e faz uma pequena justificativa da sua escolha.

Lembre-se que você já fez a justificativa lá na introdução, então não faça de novo, apenas resuma!

ebook temas para TCC.pdf

Segundo Passo – Objetivo Geral

O segundo passo é falar sobre o objetivo geral. Diga qual era seu objetivo geral, se ele foi atingido ou não e explique por que você acha isso.

Terceiro Passo – Objetivos Específicos

O terceiro passo é fazer essa mesma coisa para cada um dos seus objetivos específicos.

Detalhe: Todos os seus objetivos devem ter sido atingidos! Isso por que se algum objetivo ainda estiver pendente, então a pesquisa ainda não acabou!

Quarto Passo – Resultados

O quarto passo é fazer um relato sobre as principais descobertas que você fez em cada objetivo específico.

Não precisa muita coisa não, basta fazer um ou dois parágrafos e já estará mais que suficiente!

Quinto Passo – Hipótese

O quinto passo é falar da hipótese. Diga qual foi a hipótese que você levantou lá na introdução. Depois fale se ela foi confirmada ou refutada e explique por que você acha isso.

Sexto Passo – Problema

O sexto passo diz respeito ao problema de pesquisa. Se você conseguiu atingir os objetivos e testou a hipótese, certamente você deve ter uma resposta para a pergunta!

Então diga qual era a pergunta e apresente a resposta possível que se pode obter com a sua pesquisa.

Sétimo Passo – Instrumentos de Coleta de Dados

O sétimo passo diz respeito à coleta de dados. Você usou questionários, entrevistas, planilhas, experimentos, softwares ou qualquer recurso adicional?

Se tiver usado algum desses recursos, você deve informar isso na sua conclusão de TCC e explicar qual foi a utilidade desse instrumento para a pesquisa.

Oitavo Passo – Dificuldades e Limitações

O oitavo passo é relatar quais foram as dificuldades encontradas na pesquisa, tais como prazo curto, amostra de dados pequena, tema restrito, recursos escassos, metodologia limitada, etc.

Diante dessas dificuldades, você tem que mostrar também, as limitações da sua pesquisa. Quer dizer, as coletas de dados ou análises que poderiam ter sido feitas, mas não foram possíveis no seu trabalho.

Nono Passo – Recomendações para outras pesquisas

O nono e último passo é uma consequência do oitavo.

Se você enfrentou dificuldades e sua pesquisa ficou com limitações (e tenha certeza que isso aconteceu), então você pode recomendar a continuidade dessa pesquisa a outras pessoas… justamente para complementar!

Você pode indicar uma ampliação do tema, a análise de um ponto de vista específico que seu trabalho não conseguiu contemplar, uma amostra de dados maior ou diferente, a utilização de outra metodologia, ou qualquer coisa que você achar relevante!

ebook temas para TCC.pdf

Conclusão

Bom, no início do texto eu prometi que você iria conseguir fazer a conclusão de forma direta e objetiva para garantir uma excelente nota no seu TCC!

Agora eu tenho certeza que você domina os 09 passos essenciais para a elaboração de uma conclusão de TCC que vai fazer os membros da banca te darem nota dez antes mesmo de ler o resto do trabalho!

Então agora eu quero te pedir para compartilhar esse artigo em qualquer uma das suas redes sociais. Pode ser até aquela que você quase nem usa! Isso é muito importante para mim!

Mesmo assim, se você ainda tiver alguma dúvida, crítica, sugestão ou se você quiser me agradecer… Deixa um comentário aqui abaixo do post! Eu vou ler e com certeza vou ficar muito feliz!

Um abraço e até breve!

Veja também no YouTube.