Categorias
Como fazer um TCC Plágio no TCC

Plágio no TCC

Plágio no TCC – Os 07 tipos de Plágio no TCC que você não conhece e podem te reprovar

Olá! Eu sou o professor André Fontenelle e hoje vou te mostrar os 07 tipos de Plágio no TCC que você não conhece e que podem te reprovar no TCC.

Mas dessa vez preciso começar o vídeo de uma forma diferente, contando uma das cenas mais tristes que eu já vivi como professor universitário.

Era um dia de sábado pela manhã e estava um clima gostoso de chuva. Como de costume, a faculdade estava reservada só para as bancas de TCC.

Havia dezenas de estudantes apresentando seus trabalhos, outros alunos só assistindo as defesas e também se via muitas famílias prestigiando o momento.

Tudo corria bem! Participei de algumas bancas, com todas as emoções de praxe: Um pouco de tensão que logo se transformava em sorrisos e agradecimentos…

Eu já me preparava para a última apresentação, mas antes que eu convidasse as pessoas para entrar na sala, uma das outras duas professoras que também estavam na banca me chamou a atenção para o TCC que iríamos avaliar.

Mas não vai adiantar nada se você não tiver um tema. Então, clique na imagem abaixo e baixe totalmente grátis meu ebook que já foi baixado por 2.897 pessoas (no dia que eu estava escrevendo) e descubra como montar um tema de TCC a prova de falhas:

ebook temas para TCC.pdf

Plágio no TCC!

O aluno tinha copiado uma parte de outro artigo, mudando apenas algumas palavras. Ela estava com os dois trabalhos, não tinha como negar que ali havia um plágio gigantesco.

Fiquei com vontade de chorar quando o aluno entrou na sala!

Estava todo vestido de paletó e gravata, com alguns papéis na mão e acompanhado de alguns amigos e familiares.

Tinha até uma senhora com uma máquina fotográfica na mão, já preparada para registrar a vitória do futuro advogado.

Era muito triste saber que toda aquela expectativa iria se transformar em decepção.

Iniciamos o procedimento, conforme o protocolo. Pedimos que o aluno assinasse a ficha de frequência e preenchesse os formulários da faculdade.

Enquanto isso, eu criava coragem para dar a má notícia.

Depois de todas as formalidades obrigatórias, pedi a todos que se retirassem da sala, permanecendo só o aluno e os professores.

Só então, informei ao rapaz que nós achamos um plágio no TCC dele, que ele estava reprovado com nota zero e que ele nem poderia apresentar o seu trabalho.

Foi terrível! Ele não quis aceitar, tentou argumentar, mas nós não tínhamos como ceder.

Ele saiu da sala transtornado e deu para ouvir lá de dentro os comentários atônitos que seus acompanhantes faziam, todos sem acreditar no que estava acontecendo.

Você corre o risco de estar cometendo um plágio!

Eu não desejo isso para ninguém! Se para mim foi traumatizante, imagine como foi para aquele rapaz.

E o pior, é que hoje eu acredito que ele não teve má fé! Era um bom aluno, já tinha até sido aprovado do exame da OAB antes mesmo de terminar a faculdade.

Acho que ele tinha certeza que aquilo não era plágio, pois apresentou um recurso contra a nossa decisão e até ameaçou levar a faculdade para a justiça.

É claro que a isso não mudaria nada, pois o plágio no TCC é uma falta injustificável, além de ser comprovado documentalmente.

Tudo isso é um alerta para o seguinte fato: os estudantes não estão sendo suficientemente esclarecidos sobre o plágio!

A maior prova disso é que você ainda não conhece todos os 07 tipos de plágio no TCC. Acertei, não foi?

Então assista esse vídeo até o final e marca logo o sinal de “gostei”, pois o nosso assunto de hoje é grave e pode ser o divisor de águas entre o fracasso e a aprovação.

O que é plágio no TCC?

Plágio acadêmico é quando alguém usa em um trabalho, apresentando como se fosse sua, uma ideia, uma informação e até uma simples frase que na verdade foi produzida por outra pessoa.

Quer dizer, é o uso de conteúdo oriundo da produção intelectual de outra pessoa, sem dar a ela o crédito cabível.

É claro que todo trabalho acadêmico é baseado em textos de outros autores e você pode até copiar alguns trechos, mas isso tem que ser feito na forma de citação, ficando bem destacado quem é o autor daquelas ideias.

E não importa se você usou ou não as mesmas palavras do autor. Se você pegar um texto de outra pessoa e reescrever no seu trabalho acadêmico com suas próprias palavras, isso também é plágio!

Além disso, o plágio no TCC é crime!

Segundo o artigo 184, do Código Penal, o plágio no TCC pode levar a uma pena de até 1 (um) ano de detenção e multa.

Eu quero que você saiba que não há nenhuma regra formal para essa classificação. Eu acabei chegando a ela por conta da minha longa experiência com TCC.

Mas nem adianta se alegrar, por que o plágio não precisa de regras para sua caracterização, pois ele é verificado meramente pela comparação de dois textos.

Dito isso, vamos finalmente conhecer os 07 tipos de plagio no TCC!

ebook temas para TCC.pdf

Plágio Clássico

A primeira e mais comum forma de plágio no TCC é quando alguém simplesmente copia e cola um texto, ou uma parte de texto, escrito por outra pessoa.

É aquela cópia idêntica, sem mudar nenhuma palavra!

Talvez esse nem seja o tipo de plágio mais comum, mas com certeza é o mais fácil de ser identificado, já que existem diversos programas até gratuitos para fazer essa varredura.

E o jeito de evitar também é o mais fácil. Basta você fazer uma citação direta ou indireta, informando o autor verdadeiro no texto e nas referências bibliográficas.

Plágio de Dados

[sociallocker id=”14209″]
O segundo tipo de plágio no TCC é um dos mais traiçoeiros, por que ele não parece ser uma cópia.

Trata-se do uso de qualquer tipo de dados, sejam números, tais como estatísticas, números populacionais, índices econômicos e até fatos históricos, enfim, qualquer informação que você sabe, mas que não tenha sido levantada por você.

Isso é muito perigoso, por dois motivos:

Primeiro, por que as vezes a informação é tão evidente, que você naturalmente acaba tomando como verdade e se esquece de buscar a fonte.

Segundo, por que esses dados quase nunca são denunciados pelos programas de plágio, já que não se trata de cópia integral de um texto, mas do uso de uma informação de terceiros.

Por exemplo, uma vez, um dos meus orientandos escreveu 48 vezes no trabalho a expressão “golpe de 64” .

Aí eu perguntei se ele era vivo nessa época ou se tinha entrevistado alguém para saber dessa informação.

Ele disse que não, mas que todos os livros citavam que em 1964 havia ocorrido um golpe militar no Brasil.

É claro que a esmagadora maioria da doutrina reconhece que ocorreu um golpe militar em 1964, mas o estudante tem que escrever no trabalho de onde copiou essa informação, para evitar o risco de cair no plágio.

Plágio de Redundância

O terceiro tipo de plágio é o plágio de redundância. Ele acontece quando o estudante escreve vários parágrafos seguidos com várias citações do mesmo autor.

Isso é horrível, pois denuncia que o trabalho é superficial, pois está baseado em uma ou em poucas fontes.

Além disso, mostra que o estudante não está fazendo qualquer tipo de crítica ou comparação entre as informações.

Mesmo fazendo a citação formal do texto copiado, fica evidente que o estudante não fez uma pesquisa, mas apenas um resumo de outro texto, o que se caracteriza, também, como plágio.

A solução aqui é simples. Bote os autores para conversar. Faça citações alternadas entre as opiniões de vários autores, colocando sempre a suas próprias observações entre as citações.

Plágio de Preenchimento

O plágio de preenchimento é quando alguém faz longas citações da mesma fonte tomando páginas e páginas do trabalho.

Isso faz com que a diversidade de autores citados diminua, mesmo aumentando a proporção de citações, em relação ao texto escrito pelo próprio estudante.

Aqui nós temos de lembrar das 02 regras de ouro do referências teórico.

Primeiro, você tem que citar algo para tudo o que escreve e deve escrever algo para tudo o que cita.

Segundo, no máximo 30% de tudo que você escreve pode ser de citações, o resto tem que sair da sua cabeça para o texto.

Então, não adiantar querer “encher linguiça”, pois os avaliadores vão notar que você está plagiando.

Procure variar ao máximo possível as fontes de pesquisa, evite citações longas e, principalmente, faça observações dobre todo o conteúdo das citações que você fizer.

Se uma citação estiver longa e você for comentar apenas uma parte dela, corte a citação, deixando no trabalho apenas a parte importante.

Plágio de Citação

Esse plágio é mais difícil de ser identificado, por que aparentemente, não há cópia. Porém, dependendo de quem seja o seu avaliador, pode ser que ele note na hora.

O plágio de citação ocorre quando alguém fez várias citações em seu trabalho acadêmico, depois de ter copiado todas elas de um único autor.

Por exemplo, o autor “X” fez um artigo e nele citou os autores “A”, “B” e “C”. Aí você leu esse artigo aí fez o seu TCC e copiou as citações de “X”.

Quer dizer, você citou os autores “A”, “B” e “C” no seu TCC, como se tivesse lido os textos deles, mas, na verdade, você só leu o artigo do autor “X”.

Esse tipo de plágio denuncia que você não está fazendo uma pesquisa, mas copiando a pesquisa de alguém.

Perceba, que no exemplo que eu dei, a principal fonte de pesquisa foi o autor “X”, mas só apareceram nas referencias os autores “A”, “B” e “C”. Então, o autor “X” foi plagiado!

Como eu disse, é muito difícil identificar esse tipo de plágio no TCC. Mas se um dos avaliadores for especialista no assunto do seu TCC e conhecer a obra do autor “X”, é bem possível que ele descubra esse plágio.

Esse tipo de plágio também é desmascarado quando os autores citados são muito antigos ou quando são estrangeiros e fica evidente que o estudante não teve acesso aos textos originais.

Como evitar o plágio no TCC

A solução é muito simples. Se você precisa fazer uma citação de algo que alguém já citou, a dica é usar o “apud” e fazer uma citação de citação.

Além disso, se você realmente fez uma citação de alguma texto raro no seu TCC, recomendo que leve no dia da banca o seu exemplar da obra, para evitar qualquer dúvida de que foi você mesmo quem fez a pesquisa.

Autoplágio

Sem dúvida esse é o tipo de plágio mais polêmico. Autoplágio é quando você escreve no seu TCC exatamente o mesmo texto que você mesmo já escreveu em outro trabalho, sem citar a si próprio.

É um tipo de plágio mais comum na pós-graduação, quando o estudante está fazendo um TCC como uma continuidade de outra pesquisa anterior de sua própria autoria.

A polêmica reside no fato de que não seria possível alguém furtar algo de si próprio.

De fato, o autoplágio não significa necessariamente o ato ilícito de tomar para si a obra de alguém, mas o caráter ético pode é questionável, quando lembramos que o TCC deve ser uma pesquisa inédita.

De qualquer modo, a dica aqui é evitar fazer seu TCC olhando ou escrevendo por cima de outro trabalho que você já tenha feito.

Fazendo isso, dificilmente será repetido de forma idêntica um texto que você escreveu tempos atrás!

Plágio não textual

A última espécie é o plágio não textual. Ele acontece quando o aluno usa algum elemento visual, como gráficos, ilustrações, tabelas e quadros que foram produzidos por outras pessoas, mas não indica a fonte.

Se você usar qualquer um desses elementos, deverá informar logo abaixo deles a fonte de onde você tirou aquilo.

Você tem que informar a fonte até mesmo quando você mesmo tenha feito o gráfico, tabela, ilustração ou quadro.

ebook temas para TCC.pdf
[/sociallocker]

Conclusão

Bom, agora você já conhece todos os tipos de plágio possíveis e tenho certeza que poderá escrever o seu TCC de forma muito mais segura!

Perceba que as dicas para fugir do plágio no TCC são bem simples de entender e fáceis de aplicar.

Eu tenho certeza que agora você não corre mais o risco de passar pela decepção que de reprovar o TCC por um descuido!

Me diz aí nos comentários se você estava comentando algum tipo de plágio no TCC sem saber e o que você acha dessa questão.

E não deixa de se inscrever aqui no canal e nem de compartilhar esse vídeo nas suas redes sociais!

Um abraço e até breve!

Veja o vídeo: https://youtu.be/LJ2N4w5NWrkSaiba como escrever os capítulos do seu TCC: Referencial Teórico

Categorias
Como fazer um TCC Justificativa de TCC

Justificativa de TCC

Justificativa de TCC – Como fazer uma justificativa TCC – Guia com roteiro, modelos e exemplo

Atire a primeira pedra quem não tem nenhuma dúvida sobre como escrever a Justificativa de TCC!

Parece mentira que uma parte do texto que não precisa obedecer a nenhuma regra, que não conta ponto e que não interfere nos resultados da pesquisa, acabe causando tanto temor aos estudantes…

Mas o pior é que isso é verdade! Como fazer uma justificativa de TCC é, sem dúvidas, uma das perguntas que eu mais ouço!

Eu sou o Professor André Fontenelle e agora eu vou tirar mais esse peso das suas costas.

Nesse artigo você vai descobrir o que representa a justificativa no TCC e conhecer diversas formas de iniciar sua introdução ou o seu projeto de pesquisa.

Então aproveita e baixa de brinde o meu ebook “A fórmula do tema de TCC perfeito”, que vai ser essencial para você conseguir fazer uma boa justificativa. Segue o link: https://andrefontenelle.com.br/tema

[toc]

O que é justificativa no TCC?

A justificativa nada mais é que a introdução da introdução de TCC. É isso mesmo!

É um pequeno texto que você vai inserir na introdução ou no projeto de pesquisa, para demonstrar que o tema que você escolheu é relevante!

Eu recomendo que você escreva dois ou, no máximo, três parágrafos de justificativa.

Se você escrever mais que isso, já corre o risco de perder a credibilidade junto ao leitor. Vá direto ao ponto!

O detalhe é que você tem que mostrar que o tema é importante, mas não deve dizer isso, expressamente.

Quer dizer, você não deve simplesmente fazer uma afirmação, mas mostrar argumentos que façam com que o próprio leitor conclua que seu tema é bom.

ebook temas para TCC.pdf

O fato é que não existem normas ABNT para a justificativa e as faculdades não estabelecem critérios próprios para avaliar essa parte do seu TCC.

Sabe o que isso significa? Que não são atribuídos pontos específicos para a justificativa! Em outras palavras, a justificativa, por si só, não reprova!

No entanto, é justamente essa falta de critérios que deixa os alunos sem rumo, causando tanto estresse!

A justificativa de TCC reprova?

Mas, por qual motivo as faculdades exigem que todo TCC tenha uma justificativa, mesmo sem atribuir pontos para ela?

Na verdade, a justificativa de TCC serve como uma trava de segurança.

Exige-se que a escolha do tema seja justificada, justamente para evitar que os alunos resolvam inventar problemas de pesquisa malucos.

Você já deve ter visto notícias de estudantes que fizeram TCC sobre o Batmam, Anitta, Cavaleiros do Zodíaco, Pablo Vittar e tantos outros…

A verdade é que “TCC celebridade” virou moda, mas você pode ter certeza que esses trabalhos tinham uma base científica para serem aprovados, justamente por que eles tiveram de ser justificados!

Então, só existem duas chances de você reprovar no TCC por causa da justificativa:

  1. Primeiro, se você não fizer a justificativa, ou;

  2. Segundo, se o seu tema for muito sem noção e você não conseguir justificá-lo.

Além disso, a justificativa também é importante para projetos de pesquisa.

Por que eles normalmente são feitos para serem apresentados em processos de seleção, seja para admissão em mestrados ou doutorados, seja para a obtenção de bolsas de pesquisa.

Nesse caso, a justificativa tem uma função adicional. Ela serve não apenas para mostrar que o tema é viável, mas para convencer os avaliadores que vale a pena investir naquela pesquisa.

Exige-se, então, um pouco mais de texto e argumentos mais persuasivos, porém, a técnica usada é a mesma que se usa para fazer um simples artigo científico.

Justificativa TCC pronta

Mas o fato é que não existe um modelo de justificativa de TCC pronta, simplesmente por que não há regras ou critérios para ela.

Então, a grande dica é usar o bom senso.

Se você resolveu dedicar uma parte da sua vida para pesquisar sobre um assunto, certamente ele tem algum valor para você.

Certamente, você tem uma curiosidade, um interesse ou uma paixão por esse assunto.

Provavelmente, o estudo desse tema pode gerar alguma consequência prática ou teórica para a vida de alguém.

Então é isso que você tem que mostrar, sem a necessidade de arrodeios ou muitas explicações.

Pense que quanto mais argumentos você precisar, menos forte será a sua justificativa.

Fórmula mágica da justificativa de TCC

Mas é claro que existe um roteiro para você deixar sua justificativa de TCC pronta.

São quatro as informações que todos os avaliadores gostam de encontrar numa justificativa:

  1. Qual é o assunto principal do seu TCC?
  2. Quais sujeitos, populações ou empresas estão ligados a ele?
  3. O que esse assunto causa a esse sujeito, população ou empresa?
  4. Como a pesquisa científica pode interferir nisso?

Se falar essas coisas logo no início do seu texto, você estará contextualizando o seu tema e, por consequência, demonstrando que ele é relevante.

Modelo de justificativa de TCC

Mas é claro também, que você pode fazer essa contextualização de diversas formas diferentes.

Você pode, por exemplo usar os seguintes modelos de justificativa:

  1. Contar uma estória relacionada com o tema;
  2. Fazer uma citação de uma personalidade importante;
  3. Citar uma notícia ou um fato relevante;
  4. Citar trabalhos anteriores;
  5. Usar estatísticas.

Eu, particularmente, adoro estatísticas!

Para mim, elas são a melhor forma de justificar qualquer coisa, pois normalmente representam argumentos irrefutáveis.

Isso por que as estatísticas denotam alto grau de certeza e quase sempre são produzidas por entes de grande credibilidade.

Quer dizer, usando estatísticas, você ganha como bônus a autoridade de alguém que quase sempre tem mais reconhecimento que você e os avaliadores juntos.

Exemplo de justificativa de TCC

Veja esse exemplo de justificativa de TCC:

“Segundo a OCB – Organização das Cooperativas Brasileiras, em 2015 já existiam 6.582 Cooperativas em funcionamento no Brasil, vinculadas a 50 milhões de brasileiros, sendo responsáveis por U$ 5,3 bilhões em exportações para 148 países.

Além disso, no Brasil, segundo o IBGE – Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, 50% da produção agropecuária e, de acordo com a ANS – Agência Nacional de Saúde, 32% dos atendimentos privados de saúde, dependem das diretamente das Cooperativas.

Porém, embora o segmento cooperativista seja tão importante para a economia de um país que ciclicamente passa por crises, ainda não há uma alternativa legal para a crise financeira dessas sociedades.”

Você pode não entender nada desse assunto, mas, com certeza, concordará comigo que é muito relevante pesquisar sobre uma alternativa legal para a recuperação de cooperativas em crise financeira…

Pronto, esse tema aí já está mais que justificado!

De um modo ou de outro, o que você não pode de jeito nenhum é escrever algo como “O tema é importante por que…”.

Jamais faça isso e não esqueça que sua missão é convidar o leitor para uma reflexão, para que ele mesmo se convença de que seu tema é importante.

Conclusão

O objetivo desse texto era tirar um peso desnecessário das suas costas.

Agora você já sabe o que é uma justificativa e que dificilmente seu trabalho será reprovado por causa dela.

Você também já sabe o roteiro que sua justificativa de TCC deve seguir, conhece alguns dos principais modelos e viu até um exemplo real.

Eu tenho certeza que você já é capaz de escrever sua justificativa hoje mesmo.

Então me diz aí qual foi o modelo de justificativa que você escolheu. Se quiser, escreve ela aí nos comentários para a gente analisar.

Mas lembre que você precisa de um bom tema, então baixa grátis meu ebook com a fórmula do tema perfeito. O link está aqui na descrição.

Ah! E se você ficou aqui até agora é por que esse artigo foi bom para você… Então, compartilha ele nas suas redes sociais e me ajuda a ajudar outras pessoas também!

Um abraço e até breve!

Veja direto no Youtube: https://youtu.be/F-rKd3MdatI

ebook temas para TCC.pdf